Reunião “muito interessante”. “Governo de Passos e Portas acabou”

(DR)
(DR)
(DR)

PS e Bloco de Esquerda já concluíram a reunião marcada para esta segunda-feira. Enquanto António Costa falou em reunião “muito interessante”, Catarina Martins disse que o Governo de Passos Coelho e Paulo Portas chegou ao fim.

Foi pouco antes das 11h que ambas as comitivas chegaram à sede bloquista para um encontro que prometia ser decisivo para a definição de uma solução governativa. Cerca de uma hora e 45 minutos depois, a reunião chegou ao fim.

Foi uma “reunião muito interessante” e em que se verificaram “matérias passíveis de convergência entre dois partidos”, afirmou António Costa à saída da reunião entre os dois partidos.

“Sabemos bem que somos partidos de natureza diferentes” mas “o que faz sentido é trabalharmos” para uma solução de governo “estável” e que “corresponda à vontade popular” de mudança de políticas, disse ainda o secretário-geral do PS.

Sem se comprometer neste momento com a definição de um quadro governativo, Costa sugeri que há um conjunto de matérias que podem dar suporte a um entendimento sólido e estável. E que tal se verifica porque “há um objetivo que é comum [entre PS e Bloco], o da recuperação dos rendimentos das famílias portuguesas, em particular das famílias de mais baixo rendimento”.

“Há formas diversas de alcançar este objetivo” mas há também “margem para no quadro das reuniões que se vão seguir podermos aproximar posições”, saliento.

Nesta fase, disse ainda António Costa, apesar de as duas reuniões com partidos mais à Esquerda terem corrido bem, “não há ainda condições de governabilidade”.

António Costa adiantou que só da parte da tarde é que a documentação que a coligação PSD/CDS ficou de enviar para o PS chegará ao seu destino, pelo que é possível que a segunda reunião marcada para amanhã possa sofrer alterações, devido ao atraso da coligação.

De seguida falou Catarina Martins aos jornalistas. E foi perentória: “pela nossa parte estou em condições de dizer que, no que depende do Bloco de Esquerda, o Governo de Passos Coelho e Paulo Portas acabou”, declarou.

Realçando que a prioridade dos bloquistas era uma “solução de governo que pudesse proteger emprego, salários e pensões”, Catarina Martins falou de uma “Direita [que] não soube, como nunca, respeitar a lei fundamental do país”. E deixou farpas a Cavaco Silva, que “quando falou de estabilidade, falou de quase tudo menos da Constituição da República”.

“Depois da reunião que tivemos hoje, estão criadas as condições de consenso básico para responder às três condições básicas” para o Bloco, disse ainda Catarina Martins.

“No que nos diz respeito, o governo de Passos Coelho e Paulo Portas acabou hoje”, reforçou a líder bloquista, realçando que “há uma solução” de governo e que hoje se falou “de um programa de Governo”.

Sobre se o Bloco de Esquerda participaria nesse governo ou daria apoio parlamentar, Catarina Martins não respondeu, mantendo a linha já seguida por António Costa, numa altura em que há mais reuniões agendadas, nomeadamente para a comitiva do PS. (noticiasaominuto.com)

DEIXE UMA RESPOSTA