Reportagem: Recuperação das vias em Luanda facilita criação de mais negócios

Vias de Luanda (Foto: Vigas da Purificação)
Vias de Luanda (Foto: Vigas da Purificação)
Vias de Luanda
(Foto: Vigas da Purificação)

São visíveis os sinais positivos que a modernização da via Luanda Sul/Camama está a trazer às populações o que está a motivar o surgimento de vários negócios ao longo da estrada e facilitar a circulação rodoviária.

A requalificação e modernização da via que liga Luanda Sul à rotunda do Ca ma ma está a melhorar a circulação de pessoas e bens, que diariamente utilizam para os vários afazeres. Durante uma ronda que o JE realizou, foi possível, confirmar através dos moradores que as obras, a cargo da construtora brasileira Odebrecht, já arrancaram no primeiro trimestre do ano passado.

“Todos os dias vimos homens e máquinas empenhados na recuperação desta estrada, Luanda Sul/Camama”, disse Santos Kinavuidi, revendedor de recargas, na rotunda da Universidade Técnica de Angola (UTANGA). Para quem chega à rotunda do Luanda Sul junto à Utanga, em direcção ao Camama e Golfe II, o cenário é agradável. Uma via devidamente reabilitada e assinalada (vertical e horizontalmente) com oito faixas de rodagem. Circulação melhorada Segundo João Cardoso, taxista, que trabalha há mais de cinco anos naquele troço, a circulação melhorou consideravelmente.

“São quatro faixas de rodagem em cada sentido, perfazendo um total de oito, contra, duas anteriores”, recordou. Para ele, “há quase um quilómetro da rotunda do Luanda Sul, em direcção ao Golfe II, ganhamos uma bomba de combustível que trabalha 24 horas, com capacidade para atender até 12 viaturas simultaneamente”, disse. Para António Santos, que ganhou o seu emprego a vida tem outro rumo, já que “com a requalificação desta via está a trazer muitos benefícios para nós”. Segundo apontou, até os atropelamentos reduziram porque as passadeiras, estão devidamente sinalizadas e estas têm uma pequena elevação para chamar atenção os automobilistas e os piões.

Empresários (Foto: Vigas da Purificação)
Empresários
(Foto: Vigas da Purificação)

Carlos José a assegurou, que o trabalho está a ser do agrado São visíveis os sinais positivos que a modernização da via Luanda Sul/Camama está a trazer às populações o que está a motivar o surgimento de vários negócios ao longo da estrada e facilitar a circulação rodoviária Recuperação das vias em Luanda facilita criação de mais negócios.

A modernização do troço tem sido uma mais-valia para os transeuntes, na medida em que está a facilitar a mobilidade Gerente de restaurante Carlos Morais Comerciante Ana Paula reportagem dos automobilistas, pois, as obras estão a ser acompanhadas pela sinalização da estrada, passeio e paragens. A única dificuldade que estamos a encontrar ao circular nesta estrada está relacionada com a deficiente iluminação, que não é constante, disse, Ana Paula, dona de uma loja de roupa e calçado no centro comercial Maria Luísa. “Sempre que há falha de energia neste troço, no dia seguinte o balanço é fatal”, disse. Diariamente utilizo esta estrada para ir ao serviço, disse, Paulo Samuel.

Com a requalificação, a via ganhou os negócios que conheceram um incremento em termo de procura. Mais negócios Para o gerente de um dos restaurantes, Carlos Morais, a circulação dos clientes aumentou consideravelmente. O seu estabelecimento atende até as zero horas, 50 clientes entre os produtos mais procurados estão “fino em barril e gambas”.

Com a requalificação da via, em jeito de comparticipação nos esforços de manutenção da beleza da cidade capital e particularmente da sua circunscrição, a sua unidade de restauração vai cuidar do jardim localizado defronte o centro comercial Maria Luísa. vigas da purificação vigas da purificação vigas da purificação A meta é decorar com as melhores, espécies de flores e árvores uma zona de aproximadamente 150 metros de comprimento e três de largura.

“ Queremos que o nosso jardim se torne uma referência nestas imediações”, revelou. Para garantir uma longa vida as flores que darão lugar ao verde agradável, o restaurante solicitou água canalizada à construtora. Segundo contou, esta necessidade já foi prontamente atendida. “Já temos água canalizada” disse o responsável. Para começar o seu restaurante já contratou dois jardineiros.

A meta é tornar o local numa referência para quem circular naquelas imediações. “Vamos preparar a terra e de seguida plantar as flores necessárias para dar uma imagem diferente ao jardim”, concluiu. Já Claúdia Moreira , que ganhou o seu emprego neste restaurante foi unânime em afirmar, que as vias de comunicação trazem desenvolvimento, pelo que aproveitou a oportunidade para encorajar as autoridades.

Além das unidades de restauração a zona ganhou igualmente, três novas dependências bancária, nomeadamente, os Bancos Millennium, Sol e BIC. Novas infra-estruturas Quanto aos armazéns, a zona ganhou lojas que vendem pneus, material de constru- ção civil e pequenas unidades de comercialização de produtos diversos. Ganhou igualmente unidades hoteleiras com destaque para “Lucinga Nzambi”, sem descorar as áreas de recreação e entretenimento.

Já os automobilistas, que comercializam inertes, na paragem do Calemba II, mostram-se apreensivos pois as obras ainda não chegaram à sua jurisdição. “Estamos a espera que as obras cheguem aqui”. “Acreditamos que daqui a pouco as obras chegarão aqui. Ao trazer a brita de Cacuaco para Luanda, já estamos a viver os primeiros sinais desta requalificação, numa extensão de aproximadamente cinco quilómetros, uma realidade que esperamos que se estende até Camama”, disse. (jornaldeeconomia.ao)

Por: André Sibi

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA