Reino Unido:Tony Blair pede desculpas por guerra no Iraque e ascensão do EI

Tony Blair (AFP)
Tony Blair (AFP)
Tony Blair (AFP)

O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair voltou a pedir desculpas pelas justificações usadas para deflagrar a guerra no Iraque e admitiu certa responsabilidade na ascensão do Estado Islâmico (EI) – de acordo com trechos da sua entrevista dada à CNN e divulgados pela emissora.

“Posso dizer que peço desculpas pelo fato de que as informações que os serviços secretos deram eram falsas”, declarou Blair, segundo a página on-line do canal americano.

“Mas parece difícil desculpar-me por ter derrubado Saddam (Hussein). Ainda hoje, em 2015, me parece que é melhor que ele não esteja mais aqui”, comentou o político trabalhista, que foi primeiro-ministro entre 1997 e 2007.

“Também me desculpo por alguns erros no planeamento e nossos erros em nossa compreensão do que aconteceria depois da queda do regime”, acrescentou, reconhecendo “elementos de verdade” na ideia de que a invasão do Iraque em 2003 é a principal causa da ascensão do Estado Islâmico.

“É claro que não é possível dizer que aqueles que derrubaram Saddam em 2003 não têm qualquer responsabilidade na situação em 2015”, admitiu, lembrando-se também do impacto da chamada “Primavera Árabe” na região e que o EI começou a sua expansão na Síria, e não pelo Iraque.

O Reino Unido participou da invasão e da guerra no Iraque, iniciada em 2003, ao lado dos Estados Unidos. Essa decisão foi bastante impopular em casa, e muitos acusam o ex-primeiro-ministro de ter enganado a população sobre a presença – jamais comprovada – de armas de destruição em massa no Iraque. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA