Refugiados e migrantes comemoram o 1º aniversário da Casa de Passagem Terra Nova

(sp.gov.br)
(sp.gov.br)
(sp.gov.br)

Durante o evento, acolhidos contarão suas histórias de superação e também será assinada a renovação de convênio com a Coordenadoria Regional das Obras de Promoção Humana – CROPH – responsável pelo gerenciamento do serviço.

Para atender as solicitações de refugiados e vítimas de tráfico de pessoas, o Estado de São Paulo conta com a Casa de Passagem “Terra Nova” que, na próxima sexta-feira (2/10), às 14h30, realiza evento para comemorar o primeiro ano de funcionamento, com a presença de refugiados acolhidos, que contarão suas histórias. A Casa de Passagem está localizada na Rua da Abolição, 145, Centro. O secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, confirmou presença.

(sp.gov.br)
(sp.gov.br)

Desde a inauguração, em 2 de outubro de 2014, a Casa já acolheu 144 pessoas. Atualmente, são atendidas pessoas vindas da Síria, Nigéria, Guiné, Gana, República Democrática do Congo, Camarões, Angola e Bolívia.

O equipamento funciona 24h e tem capacidade para acolher 50 pessoas. As famílias com filhos de até 18 anos têm atendimento prioritário. O local conta com 10 quartos com banheiros internos, área de convivência, brinquedoteca, refeitório, lavanderia, copa e salas de atendimento individualizado.

Além disso, oferece apoio social, psicológico e jurídico, atividades de convivência e ocupacionais, orientação profissional, atividades culturais, oficina de idioma (língua portuguesa), auxílio para inclusão produtiva e encaminhamentos a redes de políticas públicas necessárias ao empoderamento e fortalecimento dos usuários e da garantia de seus direitos.

Na ocasião, será apresentado o balanço do primeiro ano de funcionamento do equipamento.  Para o preenchimento das vagas, os encaminhamentos são feitos por meio dos Centros de Referência Especializados em Assistência Social (CREAS) das regiões metropolitanas de São Paulo, pela Cáritas, Missão Paz, pela Secretaria de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania e pelo Posto Humanizado de Guarulhos.

Parceria com a CROPH

A Casa de Passagem “Terra Nova” é gerenciada pela Coordenação Regional das Obras de Promoção Humana (CROPH). Durante a cerimônia na sexta-feira, o secretário de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, assinará a renovação do convênio com a entidade para mais um ano de atendimento no Terra Nova.

O valor da renovação é de R$ 1.648.165,23 para os próximos 12 meses. Em 2014, o recurso investido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social foi de R$ 1.610.618,88.

Refúgio no Brasil

De acordo com o CONARE (Comitê Nacional para os Refugiados), a população de refugiados no Brasil vem crescendo de forma acelerada entre 2013 e 2014 (até outubro – data da publicação do último relatório). Segundo o Comitê, o país possui atualmente 7.289 refugiados reconhecidos de 81 nacionalidades distintas.

Em 2014, a maioria das solicitações de refúgio foi apresentada em São Paulo (26% do total), seguido pelo Acre (22%), Rio Grande do Sul (17%) e Paraná (12%). Ainda segundo dados do CONARE, a principal nacionalidade dos refugiados que hoje vivem no Brasil é a síria.

A Casa de Passagem “Terra Nova” já atendeu 20 sírios. Dentre os acolhidos está a família de Aiman Almasry e Lina Alhussein, vinda de Damasco, e uma das primeiras atendidas na Casa. Hoje, Aiman, Lina e os dois filhos pequenos moram em uma casa alugada na Vila Carrão. Após sete meses na Casa de Passagem, a família consegue o sustento com uma pequena empresa para fabricação caseira de doces sírios e comemoram a conquista da tão sonhada autonomia em São Paulo. “O acolhimento na Casa de Passagem foi essencial para podermos seguir em frente”, explicam.    

É o que espera também a Ana (nome fictício), refugiada da República Democrática do Congo, grávida de oito meses, que está no “Terra Nova” com o marido e os três filhos. Sua família é uma das sete que hoje são atendidas pela Casa. Questionada sobre suas expectativas em relação ao novo país, ela simplesmente diz estar agradecida por encontrar um local seguro para sua família e começa a acreditar em um futuro melhor para seus filhos.

(sp.gov.br)
(sp.gov.br)

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, “o objetivo do Governo do Estado é proporcionar o acolhimento seguro e digno para aqueles que, por escolha ou destino, encontram em São Paulo as possibilidades de um recomeço. São conquistas que vão desde o acesso a direitos básicos de saúde e documentação até o conhecimento da língua portuguesa e a inserção no mercado de trabalho”, explicou. (sp.gov.br)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA