Realçada relevância das Nações Unidas no actual contexto mundial

Pier Paolo Balladelli - Representante da ONU em Angola (Foto: Alberto julião)
Pier Paolo Balladelli - Representante da ONU em Angola (Foto: Alberto julião)
Pier Paolo Balladelli – Representante da ONU em Angola (Foto: Alberto julião)

O representante permanente do Sistema das Nações Unidas em Angola, Paolo Baladelli, realçou hoje, em Luanda, a relevância da organização no actual contexto mundial de desigualdades e intolerância, por representar uma das melhores apostas da humanidade para o progresso no caminho da justiça social, defesa do meio ambiente, paz e segurança internacional e do progresso económico e social dos povos.

Paolo Baladelli fez estas referências quando discursava na cerimónia para assinalar os 70 anos da organização das Nações Unidas, que se assinalam sábado.

O representante da ONU no país referiu que a celebração da data coincide com a adopção da agenda 2030, com os 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, que define a erradicação da fome, pobreza extrema e das desigualdades como as prioridades absolutas dos próximos anos.

Salientou que muitos são os desafios nacionais e globais que os estados membros terão que enfrentar para integrar e operacionalizar paulatinamente esta nova agenda mundial nos planos nacionais de desenvolvimento.

No que toca às relações com o Estado angolano, salientou que Angola tem assinado compromissos de grande relevância para defender os bens públicos do desenvolvimento sustentável e da paz e segurança.

Neste contexto, fez menção ao facto de fazer parte do Conselho de Segurança da ONU, de ser presidente da CIRGL e da iniciativa Centro – africana.

Durante a sua intervenção, disse também que as autoridades têm estado empenhadas em criar condições e equidade para o povo, por considerar que a justiça social, paz, um meio ambiente fortalecido, diversificação da económica e as oportunidades de emprego para os jovens como determinantes fundamentais para materializar as suas estratégias.

Neste sentido, salientou o empenho da ONU em ajudar o país no fortalecimento das capacidades nacionais para atingir os compromissos nacionais declarados no seu plano de desenvolvimento e na Visão 2025, e na implementação dos compromissos internacionais assumidos pelo país.

Estiveram presentes igualmente na cerimónia, o Secretário de Estado das Relações Exteriores, Manuel Augusto, em representação do ministro Georges Chikoti, membros do Executivo angolano, representantes do corpo diplomático acreditado no país, de organizações internacionais, entre outros convidados. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA