Presidente maliano reúne doadores em Paris

Presidente francês, François Hollande, e o homólogo maliano Ibrahim Boubacar Keïta, Paris (AFP FOTO / POOL / JACQUES BRINON)
Presidente francês, François Hollande, e o homólogo maliano Ibrahim Boubacar Keïta, Paris (AFP FOTO / POOL / JACQUES BRINON)
Presidente francês, François Hollande, e o homólogo maliano Ibrahim Boubacar Keïta, Paris
(AFP FOTO / POOL / JACQUES BRINON)

Pela primeira vez o Presidente francês François Hollande recebe um homólogo de África subsaariana em visita de Estado a Paris. O presidente maliano, Ibrahim Boubacar Keïta, abriu esta manhã uma conferência de doadores para o Mali na sede da OCDE, em Paris.

Esta primeira visita do Chefe de Estado maliano reflecte-se sobretudo na amizade entre Paris e Bamaco. Uma relação forte explicou uma fonte diplomática francesa, que se traduz numa intervenção francesa Serval em Janeiro 2013 para fazer frente às forças jhadistas para sul do país.

Esta não é a primeira vez que Ibrahim Boubacar Keïta se desloca a Paris, o Presidente maliano estivera presente e ao lado de François Hollande na marcha de 11 de Janeiro, poucos dias depois do atentado à publicação satírica Charlie Hebdo.

Para Paris o Mali é o parceiro fiel e como previsto o Chefe de Estado francês remeteu ao homólogo as insígnias de Grande Oficial da Legião de Honra.

A conferência de doadores para o Mali que decorre hoje na sede da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) em Paris e foi impulsionada pelo governo francês com vista a desbloquear fundos para relançar a economia do Mali.

O Presidente maliano, Ibrahim Boubakar Keita, afirmou que um acordo de paz só tem significado se for acompanhado por medidas que permitam o desenvolvimento do país.

O Presidente francês, François Hollande, confirmou que a França continuará na “primeira linha” , ao lado do Mali, nomeadamente com o desbloqueamento duma soma de cerca de 360 milhões de euros, dos quais 80 milhões, para o Norte, sob a forma de empréstimos e de donativos.

Esta quinta-feira estará concentrada para a reconstrução do Mali e inscreve-se, oficialmente, numa dinâmica alcançada aquando da assinatura de acordos de paz a 20 de Junho. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA