Presidente caboverdiano promulga RTCI contra Jornalistas

Bandeira de Cabo-Verde (D.R)
Bandeira de Cabo-Verde (D.R)
Bandeira de Cabo-Verde (D.R)

Cabo Verde tem uma uma nova empresa de comunicação social, a RTCI, uma fusão da Rádio, Televisão e Agência noticiosa, Inforpress, que entrou em vigor, no último sábado, 24 de outubro.

O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, promulgou a 21 de setembro, o diploma que cria uma nova empresa de comunicação social, a RTCI, uma fusão da Rádio, Televisão e Agência noticiosa, Inforpress, que entrou em vigor, no último sábado, 24 de outubro, um mês depois, de ter sido publicado, no Boletim Oficial

As iniciais da nova empresa de comunicação, RTCI, significam Rádio Televisão Cabo-verdiana & Inforpress. E se o chefe de estado promulgou, é porque não se colocam problemas constitucionais e porque esteve de acordo com o diploma, emanado do governo do primeiro-ministro, José Maria Neves.

Trata-se de uma reforma do governo que alega querer  “reduzir custos e desenvolver sinergias, entre os jornalistas e trabalhadores das três empresas, Rádio, Televisão e Inforpress, que vão manter a sua autonomia.

A verdade é que em países ocidentais desenvolvidos que respeitam as liberdades individuais, a liberdade de imprensa, o direito à informação e de expressão e de opinião, há uma preferência pela separação, entre as Rádios Televisões e Agências noticiosas.

São mídias com filosofias e métodos de trabalho diferentes, sobretudo as agências noticiosas.

Em França, por exemplo, houve algumas tentativas de governos, que quiseram fazer fusões similares, mas que nunca foram adoptadas, porque jornalistas, políticos e intelectuais, denunciaram essas reformas, como artimanhas do poder executivo para controlar os meios de comunicação social públicos.

Aliás, esta reforma de fusão dos 3 meios de comunicação social públicos, em Cabo Verde, foi também denunciada pela oposição do MpD e da UCID, que denunciaram uma tentativa de controlo dos mesmos, pelo governo de José Maria, sem dizer, que surge a menos de um ano das eleições gerais cabo-verdianas.

O Jornalista Valdemar Pires, um dos principais Pivots de Jornais na Televisão de Cabo Verde, disse à RFI, que jornalistas e trabalhadores, duma maneira geral estão “neste momento muito preocupados com esta situação nesta nova empresa, RTCI.” (rfi.fr)

por João Matos

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA