Portugal: BCP e JM penalizam bolsa nacional

(Negocios)
(Negocios)
(Negocios)

A vitória dos conservadores nas eleições legislativas polacas está a penalizar o desempenho do BCP e da Jerónimo Martins. As duas cotadas perdem mais de 1% e penalizam a bolsa nacional.

O principal índice do mercado nacional perde 0,41% para 5.400,67 pontos, com nove em queda, sete em alta e duas inalteradas. O PSI-20 está a ser penalizado pelas quedas do BCP e da Jerónimo Martins, que reagem, negativamente, à vitória dos conservadores nas eleições legislativas polacas.

O partido Lei e Justiça obteve este domingo um resultado histórico ao conseguir a maioria dos lugares do parlamento, afastando do poder o partido que governava o país desde 2007. Entre as medidas defendidas pelos Lei e Justiça, de Beata Szydlo, está uma que poderá afectar de forma adversa as empresas portuguesas com forte presença na Polónia, como é o caso do BCP e da Jerónimo Martins.

O partido que implementar um novo imposto sobre a banca e os grandes retalhistas, que abrange o Bank Millennium, do BCP, e a Biedronka, da Jerónimo Martins. Uma taxa sobre os activos pode representar até 35% dos lucros do banco.

As acções do BCP recuam 1,33% para 5,2 cêntimos e os títulos da retalhista perdem 2,72% para 12,50 euros.

Em terreno positivo segue a Galp Energia que esta manhã, antes da abertura do mercado, revelou que os lucros dos primeiros nove meses do ano mais do que duplicaram para 490 milhões de euros. Uma subida explicada pelos resultados no negócio de refinação e distribuição e pelo aumento da produção de petróleo.

As acções da petrolífera sobem 0,58% para 9,918 euros. (euronews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA