Pólo Industrial de Viana organiza Forum alusivo ao 17º aniversário e aos 40 anos da independência

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.). Fábrica de postes de betão.

Uma série de actividades alusivas ao 17º aniversário motivaram a direcção do Pólo de Desenvolvimento Industrial de Viana a convidar pessoas colectivas e privadas interessadas, a participar. As acções terão início às 11 horas do dia 20 de Outubro, com uma Conferência de Imprensa, onde será anunciado o programa das festividades, que culminarão no dia 12 de Novembro, com a realização de um Forum subordinado ao tema: “Caminhos para acelerar a industrialização de Angola: Fomento e Financiamento do Desenvolvimento Industrial”, que contará com as presenças da ministra Bernarda Martins e do Secretário de Estado da Indústria, Kiala Gabriel, que no mesmo dia deverão inaugurar algumas unidades industriais.

Fábrica de metalomecânica inaugurada em Novembro de 2014 pelo Sec. Estado da Indústria e responsáveis do PIV. (Foto: D.R.)
Fábrica de metalomecânica inaugurada em Novembro de 2014 pelo Sec. Estado da Indústria e responsáveis do PIV.
(Foto: D.R.)

O programa prevê a realização de um conjunto de actividades desportivas e lúdicas (Atletismo, Ciclismo e Motocross), inscritas nas celebrações dos 40 anos da independência nacional, constituindo-se numa actividade bipolar, visando associar o processo de industrialização, em curso no país,  às iniciativas políticas do Executivo angolano, que concentra, neste momento, os seus esforços na diversificação da economia. Diversificação essa que confere à indústria um papel de primacial importância no actual contexto sócio-económico.

(D.R.)
(D.R.)

O Pólo Industrial de Viana (2800 hectares), inserido na Rede Nacional de Desenvolvimento Industrial de Angola é o mais desenvolvido do país. Concebido à luz do Plano Director do Ministério da Indústria para absorver  500 unidades de pequeno e grande porte, estando boa parte delas  (cerca de 300) a funcionar, nos ramos da “construção civil, indústria e transformação, e outras nos ramos comercial, logística e de serviços”  e a fornecer produtos para as grandes superfícies comerciais e o mercado em geral, o PIV tem condições para, no plano das políticas governamentais de luta contra a pobreza e o desemprego no seio da juventude, para absorver parte significativa da mão de obra desocupada na capital.

Faltam as infraestruturas para que possam realmente servir os objectivos preconizados que passam necessariamente pela substituição das importações. (Portal de Angola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA