Polícia Federal faz busca em empresa do filho de Lula

(DPA)
(DPA)
(DPA)

Medida faz parte da Operação Zelotes, que investiga esquema de propina envolvendo o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) durante o governo Lula. No total, cem policiais cumprem 33 mandados judiciais.

A Polícia Federal cumpriu nesta segunda-feira (26/10) um mandado de busca e apreensão na sede da empresa de marketing esportivo LFT, em São Paulo, da qual um dos sócios é o filho do ex-presidente Lula, Luis Cláudio Lula da Silva.

A busca faz parte de uma nova fase da Operação Zelotes, que investiga um esquema de pagamento de propina a membros do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), vinculado ao Ministério da Fazenda, durante o governo Lula.

Um porta-voz do Instituto Lula confirmou que Luis Cláudio é sócio da LFT, mas afirmou que o instituto não iria se manifestar sobre a operação. Uma viatura da Polícia Federal chegou ao escritório da LFT, no bairro dos Jardins, antes das 6h.

Iniciada no dia 26 de março deste ano, a Operação Zelotes investiga nesta nova fase o consórcio de empresas que, além de promover a manipulação de processos e julgamentos dentro do Carf, também negociaria incentivos fiscais a favor de empresas do setor automobilístico. Estima-se que mais de 19 bilhões de reais tenham sido desviados.

As irregularidades nos processos do Carf se estenderam para dezenas de empresas em diversos setores. As investigações alcançam processos de até 2005.

Uma reportagem publicada pelo jornal O Estado de São Paulo no início deste mês divulgou mensagens entre empresas que mencionavam pagamentos de quantias milionárias a grupos que teriam subornado políticos do governo. Documentos publicados pela reportagem citam as empresas MMC Automotores, subsidiária da Mitsubishi no Brasil, e o grupo Caoa, que fabrica e comercializa marcas como Hyundai, Ford e Subaru.

Em comunicado, a Polícia Federal informou que cerca de cem policiais cumprem um total de 33 mandados judiciais, sendo seis de prisão preventiva, 18 de busca e apreensão e nove de condução coercitiva nos estados de São Paulo, Piauí e Maranhão e no Distrito Federal.

Em Brasília, buscas foram realizadas na residência de Fernando Cesar Mesquita, ex-chefe de Comunicação Social do Senado e ex-secretário de Imprensa e porta-voz da Presidência da República durante o governo do ex-presidente José Sarney. O lobista Alexandre Paes dos Santos foi preso na manhã desta segunda-feira.

Segundo o comunicado da Polícia federal, “as provas indicam provável ocorrência de tráfico de influência, extorsão e até mesmo corrupção de agentes públicos para que uma legislação benéfica a essas empresas fosse elaborada e posteriormente aprovada”.

As práticas ilegais investigadas pela polícia são tráfico de influência, corrupção passiva, corrupção ativa, associação e organização criminosa e lavagem de dinheiro. (dw.de)

RC/abr/efe

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA