Plataforma do Ngolome será centro de referência de apoio à pesca artesanal em África

(Foto: Lino Guimarães/Arquivo)
 (Foto: Lino Guimarães/Arquivo)
(Foto: Lino Guimarães/Arquivo)

A plataforma de apoio às pesca continental e artesanal do Ngolome, na comuna de Massangano, município de Cambambe, Cuanza Norte, será transformada numa unidade de referência para o fomento da actividade piscatória em África, garantiu nesta segunda-feira o representante do Fundo das Nações Unidas para a Alimentação (FAO) em Angola.

Mamaudou Diallou fez o anúncio ao intervir durante a inauguração da infra-estrutura, em acto orientado pela ministra das Pescas, Victória de Barros Neto, acrescentando ser um investimento conjunto da FAO e do governo de Angola que, pela sua imponência, justifica a elevação a outros níveis.

Por este facto, referiu, a FAO em Angola, como financiadora inicial, inscreveu o empreendimento no conjunto de tarefas de excelência, classificadas pela organização sedeada na Itália, onde uma equipa de técnicos angolanos e estrangeiros trabalha para a conformação dos documentos finais, com vista a sua total aprovação, no quadro das parcerias inovadoras existentes entre o Governo angolano e aquele organismo internacional.

Indicou que as relações institucionais com Angola vigoram há mais de 30 anos e é com grande satisfação que acompanha o ritmo de desenvolvimento económico do país, razão pela qual foi assinada recentemente uma convenção entre a FAO, o Ministério das Pescas, o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), para o impulso da dinâmica voltada para a satisfação das populações de Angola.

Esta convenção, referiu, irá permitir que a pesca artesanal e continental em Angola ganhe maior consistência com a sua retirada do estado letárgico a que esteve votada, o que pressupõe o estímulo ao fomento do empreendedorismo, no quadro da aceleração e diversificação da economia do país.

Mamaudou Diallo sublinhou que o impacto do projecto da plataforma do Ngolome de apoio à pesca artesanal e continental justificou a sua inscrição entre os projectos de referência em África e que se traduzirá na prestação de apoios a outros países do continente através da formação, troca de experiencias e apoio técnico aos que se julguem dotados de potencialidades hídricas e piscatórias à semelhança de Angola.

Nesta esteira, prosseguiu, ainda este ano pescadores e técnicos de diferentes países africanos se deslocarão ao Ngolome para constatação “in loco” das suas reais potencialidades, onde poderão se inspirar e colher experiencias que reforcem o exercício da actividade nos países de origem.

A amplitude da plataforma do Ngolome afigura uma componente bastante inovadora que permitiu o surgimento de vários profissionais fora do circuito piscatório, sobretudo nos domínios da serralharia, mecânica náutica, electricidade, alvenaria e frio, como forma de garantir a sustentabilidade do empreendimento.

O responsável disse ainda que com a construção da plataforma do Ngolome foram criadas ansiedades entre a FAO e o governo de Angola, que vão motivar a transformação daquela zona num pólo de desenvolvimento económico a nível do Cuanza Norte.

Esta predisposição, segundo ainda o representante, resulta do interesse já demonstrado pelo governo da província, em criar condições para melhoria do modo de vida dos populares, sendo, por isso, necessária a atracção de apoios incondicionais para a sua concretização.

A plataforma do Ngolome é uma cadeia integrada, construída com a finalidade de promover técnicas modernas de tratamento e processamento de pescado das águas doces, albergando vários serviços para o exercício da actividade piscatória de forma melhorada.

Assistiram à sua inauguração o vice-governador do Cuanza Norte para a esfera económica, Manuel de Abreu Pereira da Silva, o administrador de Cambambe, Francisco Manuel Diogo, bem como representantes do PNUD e do Banco Africano de Desenvolvimento. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA