Petrolíferas anunciam arranque do projecto “Bombas Multifásicas”

(VOA)
(VOA)
(VOA)

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola – Sonangol E.P., a Total E&P Angola e as suas associadas do Bloco 17 anunciaram, sexta-feira (30), o arranque do projecto “Bombas Multifásicas (MPP)” no Campo Rosa, localizado no Bloco 17 offshore Angolano.

O facto vem expresso numa nota de imprensa da Sonangol , a que à Angop teve acesso, hoje, sábado, a qual acrescenta que essa inovação tecnológica vai adicionar 30 kbbl/d (Trinta Mil barris por dia) à produção actual do Bloco.

O projecto enquadra-se no objectivo de aumento de Recursos do Girassol (GirRl), lançado em 2010 para optimizar a recuperação do petróleo nos campos maduros conectados à Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Descarga de Petróleo (FPS0) Girassol.

O mesmo consiste na instalação, no fundo do mar, de quatro bombas multifásicas de alta pressão, conectadas à rede de produção submarina existente no Campo Rosa.

Essas bombas permitirão a recuperação de cerca de 42 milhões de barris de reservas adicionais. O projecto, cuja tecnologia constitui uma estreia mundial, inclui também a instalação de um cabo eléctrico de ligação entre os FPSO Girassol e Dália, para fornecer electricidade necessária ao funcionamento das bombas.

O Bloco 17 é um dos mais importantes operados pelo Grupo Total e conta com uma produção acumulada – recorde de 2 mil milhões de barris em Abril de 2015. A Produção do Bloco é garantida por quatro Unidades Flutuantes de Produção Armazenamento e Descarga de Petróleo, PazFlor e CLOV.

A Total E&P Angola é o operador do Bloco 17 com uma participação de 40 porcento e tem como associadas a Statoil, 23,33%, a Esso Exploration Angola (Bloco 17) Limited, com 20 %, e a BP Exploration (Angola)Ltd, 16,67 %. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA