Panamá acerta com Odebrecht revitalização da cidade de Colón

Turistas caminham pela Praça França, na Cidade do Panamá, em 11 de outubro (Foto de Rodrigo Arangua/AFP)
Turistas caminham pela Praça França, na Cidade do Panamá, em 11 de outubro (Foto de Rodrigo Arangua/AFP)
Turistas caminham pela Praça França, na Cidade do Panamá, em 11 de outubro (Foto de Rodrigo Arangua/AFP)

O governo panamenho formalizou nesta segunda-feira o início das obras da brasileira Odebrecht para revitalizar Colón, a segunda cidade do país, situada no Atlântico.

“Isto é muito mais que um projeto de infraestrutura, é um projeto humano que permitirá que as crianças cresçam em uma cidade segura, próspera, com emprego e oportunidades para todos”, disse o presidente Juan Carlos Varela.

Colón, 80 quilômetros ao norte da capital panamenha, é a segunda cidade mais importante do país, onde se localiza a entrada do Canal e uma das zonas francas mais importantes do planeta.

O projeto prevê a construção, até 2018, de 5 mil casas, quadras esportivas, parques, escolas, sistemas de saneamento básico e reforma de prédios históricos.

As obras ficarão a cargo da Odebrecht, que integra o consórcio Nuevo Colón com a panamenha Constructora Urbana (CUSA). O valor do contrato é de 537 milhões de dólares.

A Odebrecht está no olho do furacão do escândalo da Petrobras, sendo uma das principais suspeitas de integrar o cartel de empreiteiras formado para pagar subornos à estatal em troca de contratos.

Colón, no passado uma próspera e dinâmica cidade, vive atualmente um quadro de pobreza e criminalidade, com bairros em condições precárias e zonas abandonadas. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA