OMS garante apoio aos países da região para restaurar dignidade na saúde mental

SIMBOLO DA OMS (Foto: Angop)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está empenhada em continuar a trabalhar e a apoiar todos os governos e partes interessadas, fornecendo o apoio técnico necessário para enfrentar e restaurar a dignidade na saúde mental.

SIMBOLO DA OMS (Foto: Angop)
SIMBOLO DA OMS (Foto: Angop)

Quem garante é directora regional da OMS para África, Matshidiso Moeti, por ocasião do Dia Mundial da Saúde Mental, que se comemora sexta-feira, 10 de Outubro, em todo o mundo sob o tema “Dignidade na saúde mental”.

“A 10 de Outubro de 2015, juntamo-nos ao resto do mundo na comemoração do Dia Mundial da Saúde Mental, sob o tema: “Dignidade na saúde mental”, lembrando a necessidade crucial de garantir que a dignidade é preservada em todos os aspectos da saúde mental, desde os cuidados prestados aos doentes até às atitudes do público em geral, frisou.

Acrescentou que na Região Africana, estima-se que uma em cada seis pessoas sofre de algum tipo de perturbação mental, mas, infelizmente, no decorrer do tratamento, alguns pacientes são submetidos a um tratamento indigno, por exemplo acorrentados a árvores ou camas, fechados numa jaula, deixados sem alimentos durante muitas horas, privados de apoio familiar e sem higiene pessoal adequada.

Por outro lado, reconhece que alguns países da Região Africana têm implementado uma série de medidas para melhorar a sensibilização, restaurar a dignidade, e dar acesso aos serviços de saúde mental a todos os níveis do sistema de saúde. Isto inclui a revisão da sua legislação sobre saúde mental, a fim de proteger os direitos e a dignidade das pessoas afectadas pela doença.

Apesar destas medidas, a promoção de uma boa saúde mental e a compreensão dos desafios que esta coloca, assim como a detecção precoce, o tratamento, e a dignidade para os pacientes ainda constituem preocupação em muitos países da Região, assim como a falta de pessoal treinado e motivado na área da saúde mental e da psiquiatria.

Reconhecendo a necessidade de acções que respondam às necessidades da saúde mental, a OMS, através do seu Programa de acção para reduzir as lacunas em saúde mental, apoia os países na melhoria da qualidade de vida e do bem-estar das pessoas que sofrem de perturbações de saúde mental.

A directora regional apela aos governos e parceiros no sentido de melhorar a saúde mental, combatendo a discriminação através de iniciativas individuais e comunitárias, assim como o apoio aos programas nacionais, políticas e medidas legislativas.

“Uma intensificação do apoio dos parceiros, da sociedade civil, dos doadores, e o reforço da capacidade dos prestadores de cuidados de saúde, contribuirão imensamente para a resolução deste problema crescente nas comunidades e na Região, alertou. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA