Novos confrontos armados no centro de Moçambique

Treino de combatentes da Renamo (2012). (AFP PHOTO / JINTY JACKSON)
Treino de combatentes da Renamo (2012). (AFP PHOTO / JINTY JACKSON)
Treino de combatentes da Renamo (2012).
(AFP PHOTO / JINTY JACKSON)

As Forças de Defesa e Segurança e homens armados da Renamo confrontam-se de novo desde quarta-feira no centro de Moçambique, em operações militares para desarmar os homens do principal partido da oposição.

O ministro do interior Jaime Basílio Monteiro, confirmou ontem (30/10) que em Gorongosa e Morrumbala, respectivamente nas províncias de Sofala e Zambézia, no centro do país, se registam desde quarta-feira confrontos armados entre as Forças Armados de Defesa e Segurança e homens armados da Renamo e preveniu citamos “continuaremos até remover o último ninho”.

Segundo testemunhas locais (citadas pela agência Lusa), os confrontos continuaram esta madrugada, havendo registo de mortos e feridos em número desconhecido e a população está a fugir para as matas.

Em Maputo o Comandante Geral da Polícia Jorge Khalau reiterou também ontem conferência de imprensa, que as operações vão continuar “para desarmar os homens da Renamo e neutralizar os que, segundo ele, aterrorizam as populações”.

O líder da Renamo, Afonso Dlhakama, não é visto em público desde 9 de Outubro, quando forças policiais cercaram a sua residência na Beira, um dia depois de ele ter aparecido em público, após cerca de duas semanas em “parte incerta” algures na Serra da Gorongosa, na sequência de duas emboscadas de que foi alvo a sua comitiva.

De recordar que no fim de semana passado, as autoridades moçambicanas lançaram em Gondôla – onde correram as emboscadas – uma campanha de troca de armas por materiais de construção. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA