Nobel de Medicina vai para pesquisadores de parasitas e malária

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Cientistas do Japão, da China e da Irlanda “forneceram poderosos novos meios” de combater oncocercose, elefantíase e malária. Segundo comité do prémio, consequências das descobertas do trio são “imensuráveis”.

Três cientistas do Japão, da Irlanda e da China ganharam o Prémio Nobel de Medicina de 2015, por descobertas que contribuem ao combate contra infecções causadas por parasitas e contra a malária, anunciou nesta segunda-feira (05/10) o Instituto Karolinska de Estocolmo.

Os jurados concederam o prémio ao irlandês William Campbell e ao japonês Satoshi Omura pela descoberta de uma nova droga, a avermectin, que contribuiu para o combate contra a oncocercose e a elefantíase, além de mostrar ser efectiva contra outras doenças parasitárias.

A terceira premiada foi a chinesa Youyou Tu, que descobriu a droga artemisin, a qual reduziu significativamente as taxas de mortalidade entre pacientes com malária.

“As duas descobertas forneceram à humanidade novos meios de combater essas doenças debilitantes, que afectam milhões de pessoas anualmente”, disse o comité do Nobel. “As consequências em termos de melhoras à saúde humana e à redução do sofrimento são imensuráveis.”

Campbell é pesquisador emérito na Universidade Drew, em Nova Jersey, nos EUA. Omura é professor emérito na Universidade de Kitasato, no Japão. Youyou Tu, por sua vez, é professora-chefe da Academia de Medicina Tradicional Chinesa, na China.

Metade do prémio de 8 milhões de coroas suecas (cerca de 960 mil dólares) será dividida entre Campbell e Omura, e a outra metade vai para Youyou Tu. O prémio será entregue no dia 10 de Dezembro.

O Prémio de Medicina foi o primeiro Nobel deste ano a ser anunciado. Os ganhadores das categorias Física, Química e Paz devem ser anunciados ainda nesta semana, e o de Economia, na próxima segunda-feira. A data para o anúncio do Nobel de Literatura ainda não foi definida. (dw.de)

LPF/rtr/afp/efe/lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA