Netflix chega a 69 milhões de assinantes

A Netflix comunicou nesta quarta-feira que o seu número de assinaturas em todo o mundo subiu para 69,17 milhões (Foto de Robert Sullivan/AFP/Arquivos)
A Netflix comunicou nesta quarta-feira que o seu número de assinaturas em todo o mundo subiu para 69,17 milhões (Foto de Robert Sullivan/AFP/Arquivos)
A Netflix comunicou nesta quarta-feira que o seu número de assinaturas em todo o mundo subiu para 69,17 milhões (Foto de Robert Sullivan/AFP/Arquivos)

A Netflix comunicou nesta quarta-feira que o seu número de assinaturas em todo o mundo subiu para 69,17 milhões.

No entanto, a Netflix viu a actualização de seus resultados trimestrais ficar aquém da maioria das previsões, empurrando para baixo o valor de suas acções. As acções caíram 6,9%, a 110,23 dólares.

A Netflix informou o acréscimo de 3,6 milhões de assinantes nos últimos três meses. Na semana que vem o serviço por streaming será lançado em Portugal, Espanha e Itália, e a companhia prevê chegar a 74 milhões de clientes até o final deste ano.

Disponível em mais de 50 países, a Netflix anunciou que em breve chegará a Coreia do Norte, Singapura, Hong Kong e Taiwan, e tem uma meta ambiciosa de estar presente em 200 mercados nos próximos anos.

A empresa americana debutou na Ásia no início deste ano, ao lançar o seu serviço no Japão.

“Continuamos na direcção certa para nos tornarmos globais até o final de 2016,” disseram o diretcor-executivo Reed Hastings e o director-financeiro David Wells.

“Embora o crescimento global tenha sido como esperamos, nossa previsão é de aumento (do número de assinantes) para os Estados Unidos e de queda para o (mercado) internacional”, avisaram.

No último trimestre, a Netflix conquistou 880.000 novos membros nos EUA e 2,74 milhões nos outros mercados.

Neste mesmo período, a companhia registou um lucro de 29,4 milhões de dólares sobre uma receita de 1,7 bilião de dólares. Enquanto as receitas cresceram 23% em relação a um ano atrás, os lucros foram reduzidos à metade.

Na semana passada, a Netflix aumentou seus preços nos EUA e em outros países, alegando que precisa “melhorar sua capacidade de adquirir e oferecer conteúdos de alta qualidade”. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA