Mundo caminha para um aumento de temperatura de 2,7º C

(AFP)
(AFP)
(AFP)

O planeta caminha para um aquecimento de 2,7º C até o final do século, segundo os compromissos de redução de gases de efeito estufa anunciados pelos vários países, assinalou esta quinta-feira um painel de analistas.

Apesar de exceder a meta fixada pela ONU de 2º C de aquecimento em relação ao nível pré-industrial, estes compromissos constituem um avanço em relação à previsão anterior de 3º C antecipada em Setembro pelo mesmo painel, o Climate Action Tracker (CAT).

“A combinação dos planos climáticos nacionais, se aplicados, limitariam o aquecimento global a 2,7º C para o horizonte de 2100”, indicou o organismo, que reúne quatro centros de pesquisa.

É a primeira vez desde 2009, ano em que o CAT começou a avaliar as temperaturas com base nos compromissos climáticos nacionais, que o aquecimento previsível iria passar abaixo dos 3º C.

A ONU havia fixado a data de 1º de Outubro para apresentar os compromissos visando à conferência sobre o clima (COP21) prevista em Dezembro em Paris, apesar disso não impedir que os países continuem apresentando compromissos.

No momento, um total de 140 países – entre os 195 Estados membros da convenção da ONU sobre mudanças climáticas – apresentaram compromissos de redução de gases para 2025-2030. Representam 80% das actuais emissões de gases de efeito estufa.

O CAT analisou em detalhe até o momento 19 contribuições. As prometidas por Austrália, Canadá, Japão, Nova Zelândia, Singapura, África do Sul, Coreia do Sul e Rússia foram consideradas “inadequadas”.

As de Etiópia e Marrocos foram, ao contrário, qualificadas como “suficientes”. As de Brasil, China, União Europeia, Indonésia, México, Noruega e Estados Unidos apresentaram propostas qualificadas como “intermediárias” pelo CAT.

Nenhum país qualificou até o momento para a categoria “modelo” prevista pelos analistas.

O aquecimento atinge actualmente 0,8º C, quase a metade do limite de 2º C.

As previsões do CAT incluem estimativas sobre a Índia, extrapoladas a partir de declarações oficiais, em vista de que este país apresente uma contribuição formal.

Para atingir a meta de 2º C, as emissões de gases com efeito estufa deverão ser de 11 e 13 biliões de toneladas equivalentes de CO2 (GtCO2e) a menos para 2025, diz o CAT, e de 15 a 17 GtCO2 a menos em 2030.

Com base nas contribuições actuais, as emissões totalizarão entre 52 e 54 GtCO2 em 2025, e entre 53 e 55 GtCO2e em 2030, além das quais 48 GtCO2e anuais.

É “pouco provável” que os compromissos dos países que ainda não apresentaram as suas propostas consigam alcançar a meta dos 2º C, advertiu à AFP Bill Hare, analista da Climate Analytics, contribuinte do CAT. (afp.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA