Ministro das Finanças termina mandato na presidência do Caucus Africano

Armando Manuel, ministro das Finanças (Foto: D.R.)

O ministro angolano das Finanças, Armando Manuel, terminou o seu mandato como presidente do Caucus Africano.

Armando Manuel, ministro das Finanças (Foto: D.R.)
Armando Manuel, ministro das Finanças (Foto: D.R.)

A passagem de pastas ao Benin ocorreu nesta quinta-feira em Lima durante a reunião preparatória e de concertação dos encontros com a liderança do Banco Mundial e Fundo Monetário Internacional.

Na ocasião, Armando Manuel reafirmou a necessidade de uma cooperação e concertação dos países africanos para fazer face aos desafios actuais do continente, como a pobreza, a limitação das infra-estruturas socioeconómicas, níveis inadequados de desenvolvimento do capital humano, instituições frágeis e crescente desemprego, em particular entre os jovens.

“Juntos temos de continuar os nossos incansáveis esforços ​​para melhorar a nossa visão comum e moldar as nossas instituições políticas e económicas no sentido de alcançar um desenvolvimento económico sustentável e partilhar a prosperidade para todos”, declarou.

Os governadores do Caucus Africano foram unanimes em reconhecer que o balanço da presidência de Angola foi positivo, pois implementou uma nova dinâmica à organização  e os resultados desta actuação veêm-se, inclusive, no aumento de responsáveis africanos na mais alta liderança do Banco Mundial.

Após receber simbolicamente a pasta com os principais dossiers da organização, o governador do Banco Central regional para o Benin, em nome do ministro das Finanças considerou que  « Angola fez um mandato auspicioso e o nosso vai constituir-se na continuidade do trabalho realizado « , disse.

Nos termos das regras da organização, o ministro das Finanças, por Angola, presidiu as duas últimas reuniões de domingo com o Presidente do Banco Mundial Jim Yong Kim e a directora do Fundo Monetário Internacional (FMI). Nestes sentido, o Benin apenas assumirá a presidência depois do fim das reuniões de Lima.

Durante esta reunião de Lima, o governador do Banco Nacional de Angola, José Pedro de Morais, por Angola, presidiu aos trabalhos do MEFMI, instituto panafricano que tem vindo a trabalhar os Estados membros no reforço das capacidades de gestão da política macroeconómica, especialmente no momento actual da baixa no preço das principais matérias primas de exportação. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA