Ministério Público angolano acusa líderes de IURD de homicídio

Igreja da IURD em Luanda Sul (VOA)
Igreja da IURD em Luanda Sul (VOA)
Igreja da IURD em Luanda Sul (VOA)

O Ministério Público de Angola acusou seis líderes da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) de 10 crimes de homicídio voluntário na sequência da denominada vigília “Dia do Fim”, que aconteceu a 31 de Dezembro de 2012 em Luanda.

“Os arguidos orientaram-se, única e exclusivamente, no propósito firme de realizarem a maior vigília de fim de ano, em termos de adesão, realizada em Angola”, disse a acusação durante o julgamento que iniciou ontem no Tribunal Provincial de Luanda.

Segundo os bombeiros de Luanda, havia cerca de 250 mil fiéis num recinto com capacidade de 70 mil pessoas e milhares da parte exterior.

Devido à superlotação, registaram-se 10 mortos, sendo seis adultos e quatro crianças, por asfixia e esmagamento, além de 120 feridos.

Além da autoria material de 10 crimes de homicídio voluntário, os seis arguidos são acusados também de 11 crimes por ofensas corporais.

No despacho de pronúncia, o tribunal refere que os arguidos não terão agido “em observância” das “opiniões técnicas” sobre as condições do estádio e lotação, originando “erros seguramente evitáveis, caso tivessem acatado as boas práticas”. (voa.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA