Lunda Sul: Ministro pede mais organização das associações

Cândido Pereira Van-Dúnem - Ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria (Foto: ANGOP)
Cândido Pereira Van-Dúnem - Ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria (Foto: ANGOP)
Cândido Pereira Van-Dúnem – Ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria (Foto: ANGOP)

O ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Cândido Pereira dos Santos Van-Dúnem, considerou hoje, quinta-feira, em Saurimo, província da Lunda Sul, que a melhoria das condições de vida dos assistidos, para além dos esforços que o governo local tem vindo a fazer, poderá se registar se houver melhor organização entre as associações e os seus associados.

Falando em conferência de imprensa, no final da sua visita de trabalho de 24 horas efectuada a província da Lunda Sul, o governante fez saber que durante a sua jornada foi possível saber do governo da província, que tipo de apoio as autoridades locais têm dedicado aos antigos combatentes.

“Na província da Lunda Sul constatamos que há necessidade de se melhorar o relacionamento entre as associações, governo da província e os assistidos por formas a irmos todos os dias diminuindo as assimetrias que ainda existem no relacionamento entre estas áreas de intervenção”, disse.

Segundo ele, nos outros domínios, quer da assistência médica e medicamentosa, empreendedorismo, reintegração sócio-política dos antigos combatentes, há de facto avanços e iniciativas que têm permitido aos antigos combatentes terem uma maior e melhor capacidade de sobrevivência.

“ Na abordagem com as autoridades locais nós também concluímos que poderemos vir buscar iniciativas ao nível da província, para facilitar a criação de postos de trabalho para os antigos combatentes, aumento da capacidade de subsistência, para que os mesmos possam melhor as suas condições sociais”, realçou.

A Direcção Provincial dos Antigos Combatentes na Lunda Sul controla 14 mil e 657 Antigos Combatentes, incluindo suas famílias, dos quais figuram 570 deficientes físicos, 190 viúvas e cinco mil e 840 órfãos. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA