Lunda Norte: Venda de apartamentos começa este mês

(JA)
(JA)
(JA)

Um total de dois mil apartamentos, dos cinco mil construídos na Centralidade do Dundo, na Lunda Norte, começam a ser comercializados a partir da segunda quinzena deste mês, anunciou na capital da província, o presidente do conselho de administração da Imogestin.

Rui Cruz explicou que o processo começa dentro de dias com a comercialização, numa primeira fase, de 40 por cento dos dois mil apartamentos e na segunda fase, prevista para os meses de Novembro e Dezembro, são vendidos os restantes 60.

O presidente do conselho de administração da Imogestin  visitou demoradamente as  infra-estruturas da Centralidade do Dundo e apontou algumas insuficiências que, na sua opinião, devem ser corrigidas.

Apesar das anomalias, Rui Cruz considerou excelentes as condições que as casas apresentam na Centralidade do Dundo e explicou que os critérios para o acesso à habitação obedecem à divisão dos candidatos em três grupos.

As facilidades recae para a função pública, que tem uma quota de 40 por cento de casas, seguida os das empresas públicas e privadas, institutos e  organismos públicos, também com 40 por cento. Por último a venda livre ao público disponibiliza 20 por cento das habitações.

“Vamos tratar da comercialização das casas de forma transparente. O principal requisito para beneficiar do regime de propriedade resolúvel é o interessado  ser  trabalhador e nunca  ter adquirido uma residência ao Estado. Também tem de estar inscrito na segurança social e ter os impostos pagos, no caso das empresas”, explicou.

O presidente do conselho de administração da Imogestin não avançou os preços dos apartamentos, mas precisou que está em curso um estudo da realidade de cada província.

“Não temos ainda um preço fixado para a Centralidade do Dundo, de modo a definir qual o salário adequado ao nível da casa”, salientou, precisando  que o salário limite para aquisição de um apartamento varia consoante o nível de cada casa.

Rui Cruz esteve na Lunda Norte com o propósito de  contactar  as autoridades locais, empreiteiro e a empresa de fiscalização, com vista à criação de condições para o início do processo de comercialização dos apartamentos da Centralidade do Dundo.

O presidente do conselho de administração da Imogestin anunciou o início, no segundo semestre do próximo ano, da segunda fase do projecto de requalificação da cidade do Dundo, que compreende a construção de mil habitações de carácter social, concebidas para corresponderem às necessidades dos cidadãos com menores rendimentos.

Para acelerar o processo e garantir melhor organização na comercialização dos apartamentos, o Governo Provincial da Lunda Norte já distribuiu as quotas para as direcções provinciais, administrações municipais, empresas públicas, institutos públicos, as forças de defesa e segurança, banca e outras instituições para a selecção dos candidatos que tenham os requisitos para a compra de casas na Centralidade do Dundo. (jornaldeangola.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA