Israel diz na ONU que não vai permitir que o Irão se junte ao “clube das armas nucleares”

Premiê israelense faz discurso na ONU. 1/10/2015. (REUTERS/Carlo Allegri)
Premiê israelense faz discurso na ONU. 1/10/2015. (REUTERS/Carlo Allegri)
Premiê israelense faz discurso na ONU. 1/10/2015. (REUTERS/Carlo Allegri)

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, usou o seu discurso anual na ONU nesta quinta-feira para lançar um ataque aberto contra o histórico acordo nuclear com o Irão, alertando que o seu país nunca permitirá que a república islâmica se junte ao grupo de países detentores de armas nucleares.

Ao falar na cúpula anual de líderes mundiais na Assembleia-Geral da ONU, Netanyahu reiterou as críticas israelitas contra um acordo entre o Irão e outras potências mundiais para impor limites ao programa nuclear de Teerão.

Ele afirmou que, uma vez retiradas as sanções internacionais, “sem limites, o Irão vai continuar sorrateiramente.”

Israel, disse Neranyahu, nunca permitirá que o Irão “invada, se misture, ou entre no clube das armas nucleares”.

Israel tem alertado repetidamente que está preparado para usar a força militar para impedir o Irão de adquirir armas nucleares. Teerão nega ter esse objectivo e insiste que seu programa nuclear é pacífico.

O governo do presidente dos EUA, Barack Obama, tem defendido vigorosamente o acordo nuclear alcançado em 14 de Julho com o Irão, das críticas dos republicanos no Congresso, que tentaram minar o acordo, embora sem sucesso, e de Israel. A Casa Branca refere-se ao acordo como sendo a melhor maneira de evitar uma nova guerra no Médio Oriente.

“Vemos um mundo que comemora esse acordo péssimo e se apressa para acolher e fazer negócios com um regime comprometido abertamente com a nossa destruição”, disse Netanyahu. (reuters.com)

por Louis Charbonneau e Hugh Bronstein

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA