Huíla: FAS aplica AKZ mais de sete milhões em empreedendorismo

Huíla: Frederico Sanumbutue - director do FAS
Huíla: Frederico Sanumbutue - director do FAS
Huíla: Frederico Sanumbutue – director do FAS

O Fundo de Apoio Social (FAS) na Huíla, em parceria com administração municipal do Lubango, aplicou este ano sete milhões 809 e 354 Kwanzas em benefício de 33 empreendedores, no âmbito do projecto de melhoria de negócios.

Os dados foram hoje, terça-feira, fornecidos no lançamento e assinatura de nove projectos ligados a agricultura, pastelaria e culinária, pelo director do FAS na Huíla, Frederico Sanumbutue, garantindo que este financiamento faz parte de um pacote de apoio aos empreendedores.

Segundo o responsável do FAS, o projecto tem três componentes, sendo primeiro o investimento, assistência e treinamento técnica, na perspectiva de que os beneficiários saibam lidar com os negócios.

Explicou que o projecto, visa para além de financiar os beneficiários, atribuir kits para que os mesmos possam dar os seus primeiros passos, uma vez que os empreendedores devem ter um capital inicial que lhes possa garantir a fidelidade no projecto.

Frederico Sanumbutue referiu que o projecto possui uma particularidade, pois os beneficiários coparticipam, quer em singular, individual e colectivo com 20 porcento e o fundo financia os restantes 80 porcento.

Esclareceu no entanto, que cada beneficiário não deverá reembolsar o valor ao FAS, mas sim possuir uma conta bancária onde fará a poupança em benefício do projecto permitindo alavancar o negócio gerando mais emprego.

Disse que, que o projecto ora rubricado vai empregar 39 cidadãos, na sua maioria jovens.

Por sua vez, a administradora adjunta do Lubango, Margarida Acácio, enalteceu os esforços do Fundo de Apoio Social na Huíla, que a nível da sede capital da província tem estado a construir infra-estruturas sociais e a apostar na formação de quadros.

Margarida Acácio indicou que no Lubango, o FAS e a administração municipal rubricaram um memorando de entendimento, que visa a construir escolas, postos de saúde, formação e acções de apoio a agricultura rural. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA