Huíla: Bispo católico exorta governo a manter ritmo de progresso

Dom Zacarias Kamwenho (Foto: Morais Silva)
Dom Zacarias Kamwenho (Foto: Morais Silva)
Dom Zacarias Kamwenho (Foto: Morais Silva)

O arcebispo emérito da arquidiocese do Lubango, Dom Zacarias Kamwenho, exortou, nesta segunda-feira, na comuna do Jau, Município da Chibia, Huíla, ao governo angolano a manter o ritmo de progresso que o país tem vindo a registar nos últimos tempos, de modo a crescer cada vez mais.

O bispo reformado que falava na homilia em saudação a reinauguração da missão e seminário do Jau, pelo governador, João Marcelino Tyipingi, considerou que o executivo deve continuar na mesma senda e reestruturar tudo que anda desestruturado, visando o desenvolvimento não só material mas também integral do homem angolano.

Considerou ser necessário que todos os avanços feitos pelo Executivo nos mais diversos domínios e que foram manifestados ao mundo sejam sinal da nossa vontade de progredir espiritual, eticamente e em tudo.

“A graça das graças é não desistir em nossas orações à todas autoridades, aos sacerdotes, aos religiosos e religiosas, aos casais, às famílias responsáveis”, disse o religioso exortando a todos os fiés a não desistirem da sua fé em Cristo e em Deus, esperando que ele conceda a todos este obséquio.

Para reforçar o incentivo, o bispo emérito fez recurso a passagem bíblica onde um cego, de nome Batimeu, que ouvindo Jesus a passar clamou e foi curado, apesar de outros o dizerem para não incomodar o mestre ele insistiu e foi curado pela sua insistência.

“Por isso, jovens que me escutais: na vida nunca desistais do bem. Nunca desistais de ser responsável. Nunca desistais de constituir famílias mas, famílias responsáveis”, disse Zacarias Kamwenho referindo que o mais importante é perseverar até ao fim.

Agradeceu em nome de Dom Mbiligui a direcção do seminário por tudo que conseguiu fazer até agora em nome da igreja e de todos que directa ou indirectamente contribuíram para a manutenção da missão e seminário do Jau. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA