Huambo: Arcebispo recomenda responsáveis de partidos políticos a aprofundarem o diálogo

Arcebispo da arquidiocese do Huambo, Dom José de Queirós Alves (Foto: Lino Guimarães/arquivo )
Arcebispo da arquidiocese do Huambo, Dom José de Queirós Alves (Foto: Lino Guimarães/arquivo )
Arcebispo da arquidiocese do Huambo, Dom José de Queirós Alves (Foto: Lino Guimarães/arquivo )

Os responsáveis dos partidos políticos foram recomendados hoje, sexta-feira, na província do Huambo, a continuarem a aprofundar o diálogo na busca pelo bem comum e a estabilidade do país.

O apelo é do arcebispo local, dom José de Queirós Alves, em declarações à Angop, no quadro dos 40 anos de Independência nacional, tendo defendido a necessidade dos actores políticos trabalharem mutuamente, dentro da tolerância e respeito pelas diferenças, na promoção do bem-estar dos cidadãos e da estabilidade sócio-económica e política.

O líder da Igreja Católica na província do Huambo também afirmou ser necessário que os partidos políticos promovam a preservação da independência nacional e a paz.

“As organizações partidárias, nas suas acções, devem ter como ponto de partida o bem comum e o bem-estar do país, por intermédio do reforço da unidade nacional e coesão social, entre os cidadãos”, manifestou.

Dom José de Queirós Alves reafirmou ainda a necessidade dos partidos políticos, enquanto grupo de pessoas, possuírem projectos que galvanizem os anseios e as aspirações dos angolanos, sobretudo a convivência na paz, em tranquilidade e harmonia.

Para o responsável da arquidiocese católica na província do Huambo, um partido quando só busca o bem para si próprio e não pensa naquilo que o país deve ser é um partido sem sentido e está a negar a sua existência, enquanto organização pública.

O prelado católico salientou igualmente que o mesmo se diz para as forças sociais e os particulares, que num esforço conjunto devem trabalhar para o bem comum. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA