Hollande: intervenção russa na Síria “não salvará Bashar al-Assad”

(AFP)
(AFP)
(AFP)

O presidente francês François Hollande estimou nesta quinta-feira que a intervenção militar da Rússia na Síria “não irá salvar” o presidente sírio Bashar al-Assad, reconhecendo que a acção pode “consolidar o regime”.

“A intervenção russa (…) pode consolidar o regime, mas não vai salvar Bashar”, ressaltou Hollande durante uma conferencia de imprensa após o encontro europeu em Bruxelas, afirmando ainda que é preciso “ir o mais rápido possível rumo a uma transição política” na Síria.

Hollande repetiu que a seu ver, “Bashar não pode ser o futuro” do país, no momento em que algumas vozes no seio da União Europeia tentam associá-lo às negociações para uma transição política, após mais de quatro anos de uma guerra civil que já matou mais de 250.000 pessoas.

É “importante que os bombardeamentos do regime sírio sobre as populações civis parem”, insistiu o presidente francês. “Deste ponto de vista, a intervenção russa não mudou nada”, afirmou.

Hollande também lamentou que os bombardeamentos russos não contribuam para a “luta contra o terrorismo, contra o Estado Islâmico” (EI).

A Rússia lançou no último 30 de Setembro ataques na Síria em apoio ao regime de Bashar al-Assad, afirmando atacar alvos “terroristas” para defender as autoridades “legítima”. Mas os ocidentais denunciam que a acção russa ataca sobretudo a oposição moderada e a frente al-Nusra, afiliada à Al-Qaeda, e não ao EI. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA