Hoje é Dia Mundial da Lavagem das Mãos

Lavar as mãos com água e sabão pode reduzir a 41% a morte de recém-nascidos (Arquivo) (Angop)
Lavar as mãos com água e sabão pode reduzir a 41% a morte de recém-nascidos (Arquivo) (Angop)
Lavar as mãos com água e sabão pode reduzir a 41% a morte de recém-nascidos (Arquivo) (Angop)

Comemora-se hoje, quinta-feira, o sétimo aniversário alusivo ao Dia Mundial da Lavagem das Mãos.

A data foi instituída a 15 de Outubro de 2008 pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), uma agência da Organização das Nações Unidas.

Comemorada em mais de 80 países, a efeméride tem como objectivo promover a defesa dos direitos das crianças e de chamar a atenção para a importância do hábito no combate a doenças fatais.

Uma outra das razões que levou à instituição de uma data especial para abordar a questão da lavagem das mãos com água e sabão é o facto de se saber que a falta de acesso à água potável, ao saneamento adequado e higiene deficiente provocam doenças infecciosas (factores-chave que contribuem para o baixo peso das crianças, e para a mortalidade infantil).

Este ano o tema escolhido para as celebrações da data é: “Levanta a mão pela higiene”, tendo no acto de levantar a mão uma forma de garantir o apoio de cada um na divulgação da importância da lavagem das mãos.

“Levantar a mão pela higiene” significa ainda chamar a atenção para a necessidade de acção, pois os governos de todo o mundo são chamados a rever os indicadores de higiene para saber onde devem concentrar maiores esforços, porque é necessário garantir o acesso a instalações de higiene em todos os locais.

Em Angola, segundo um documento do Unicef, muitas famílias das zonas rurais e da periferia das cidades ainda usam fontes de água de alto risco, como rios, lagoas, lagos, tanques ou cacimbas e praticam a defecação a céu aberto, contribuindo para a propagação de doenças transmitidas pela água.

“Poucas famílias tratam a água e a lavagem das mãos não é amplamente praticada. De facto, apenas 25 por cento da população rural e 36 por cento da população, em geral, indica que lava as mãos após a defecação”, lê-se no documento.

Acrescenta que “a grande maioria das doenças diarreicas – que estão na origem de cerca de um quarto de todas as mortes de crianças em Angola – está associada à ingestão de água não própria para o consumo, ao saneamento inadequado ou a uma higiene insuficiente”.

As más condições de água e saneamento, prossegue o Unicef, também contribuíram para repetidos surtos de cólera. De facto, a OMS estima que anualmente só o rotavírus, um vírus causador da diarreia, provoca 300 mil casos de diarreia e 21.300 mortes de crianças menores de 5 anos.

Estes dados indicam mais uma vez a grande importância que um simples gesto como lavar as mãos pode desempenhar na vida de cada um, e que deve ser praticado em todos os lugares: em casa, na escola ou no local de trabalho, antes de comer, depois de usar a casa de banho ou latrina. Os dados indicam que lavar as mãos com água e sabão pode reduzir a 41% a morte de recém-nascidos.

O primeiro Dia Mundial da Lavagem das Mãos com água e sabão foi celebrado há sete anos (2008) quando mais de 129 milhões de crianças em mais de 70 países celebraram o dia e lavaram as suas mãos com água e sabão.

Desde 2008, as comunidades e os líderes nacionais têm usado a data para divulgar a mensagem sobre a lavagem das mãos, demonstrando o valor de lavar as mãos e educando sobre práticas simples de higiene.

A data é celebrada em Angola com um forte envolvimento das escolas, particularmente as primárias e secundárias, onde as crianças recebem mensagens sobre a importância da lavagem das mãos. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA