Guiné-Conakry: Guineenses elegem Presidente da República

BANDEIRA DA GUINÉ CONAKRY (Foto: Angop)

Conakry – Os eleitores guineenses começaram a votar domingo para as eleições presidenciais nas quais participam oito candidatos, incluindo o Presidente cessante, Alpha Condé, e os ex-primeiros-ministros Sidya Touré, Cellou Dalein Diallo e Lansana Kouyaté.

BANDEIRA DA GUINÉ CONAKRY  (Foto: Angop)
BANDEIRA DA GUINÉ CONAKRY (Foto: Angop)

A Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI) anunciou, sábado, ter distribuído quase 95 porcento dos cartões de eleitores em todo o território nacional que terá 14 mil assembleias de voto para permitir a seis milhões de cidadãos inscritos cumprir com o seu dever cívico.

A CENI indicou ter acreditado quase 10 mil observadores integrados por 254 estrangeiros e desdobrados 19 mil agentes das forças de ordem em todo o país.

O antigo Presidente liberiano, Amos Sawyer, que lidera a delegação dos observadores da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), e vários outros responsáveis de missões, provenientes da União Africana (UA), da Organização Internacional da Francofonia (OIF), da União Europeia (UE), da União do Rio Mano e das Nações Unidas, entre outros, multiplicaram sábado reuniões com vista a informar-se sobre
o processo eleitoral.

No termo dum encontro com o presidente da CENI, El hadj Bakary Fofana, o ex-chefe de Estado liberiano disse à imprensa acreditar que não haverá “graves problemas de organização” nas eleições presidenciais.

“Nós, da comunidade internacional, lançamos um apelo aos Guineenses ao lhes dizer que vamos a uma eleição que deve ser credível e cujos resultados devem ser aceites por todos. Não existe eleição 100 porcento perfeita. O nosso desejo é ver estas eleições realizadas com paz e tranquilidade social total”, disse.

O ex – Presidente liberiano e os seus colegas, que representam outras instituições, reuniram-se igualmente com o chefe de Estado cessante, Alpha Condé que, segundo ele, lhes prometeu que tudo está a postos para organizar eleições pacíficas, calmas, transparentes, credíveis e inclusivas.

Eles encontraram-se também com sete outros candidatos, dos quais os antigos primeiros-ministros Sidya Touré, Cellou Dalein Diallo e Lansana Kouyaté, que tinham participado nas eleições de 2010.

Os adversários do Presidente cessante publicaram, sexta-feira última, um comunicado em que anunciam recusar os resultados do escrutínio “se as imperfeições não forem corrigidas pela CENI”. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA