Governo de Costa é o “perigo grego” que os portugueses recusaram

(DR)
(DR)
(DR)

Diogo Feio assume a maioria relativa alcançada nas eleições mas defende que a coligação PSD/CDS poderá trazer “estabilidade” ao país.

“Os portugueses recusam a possibilidade de um perigo grego. Não querem voltar a ouvir falar de troikas ou de credores”. Por isso “querem Pedro Passos Coelho e Paulo Portas a governar”, frisa o vice-presidente do CDS-PP.

Para Diogo Feio, os resultados eleitorais mostraram que “os portugueses não querem voltar para trás, querem segurança, estabilidade e previsibilidade nas suas vidas (…) mensagens claras a que não se pode responder com jogos palacianos ou acordos secretos”.

Num artigo de opinião hoje publicado no Diário de Notícias, o eurodeputado centrista escreve ainda que “nunca o exercício de governo pode ser um simples meio de sobrevivência de um líder partidário”.

A coligação, defende, “não usou nenhum discurso que tenha sido escondido durante a campanha nem houve atitudes dúbias e duplas” e pretende “um exercício de poder que não passe por calculismos”

Em jeito de conclusão, Diogo Feio invoca Francisco Sá Carneiro para recordar que os agentes políticos devem, acima de tudo, “defender o interesse de Portugal”. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA