Galp vai duplicar produção para 100 mil barris nos próximos dois anos

(Negocios)
(Negocios)
(Negocios)

O terceiro trimestre teve uma “simbologia histórica” para a Galp, pois alcançou a meta de produção de 50 mil barris diários. Vai ser o petróleo brasileiro a contribuir para o crescimento da produção nos próximos anos.

Barril a barril, enche a Galp o papo. Depois de superar a meta inicial dos 30 mil barris diários e deste ano alcançar os 50 mil barris diários, a petrolífera nacional já tem os olhos postos em nova meta. Agora, a Galp prevê alcançar a produção de 100 mil barris diários até 2017.

“Este último trimestre tem uma simbologia histórica para nós. Já tinhamos ultrapassado os 30 mil barris por dia, ultrapassámos agora a meta histórica dos 50 mil barris”, disse o presidente executivo da Galp esta segunda-feira, 26 de Outubro, durante a apresentação dos resultados trimestrais.

“O próximo salto similar ocorrerrá quando produzirmos 100 mil barris por dia em dois anos, até final de 2017”, revelou Carlos Gomes da Silva.

“Isto é o resultado de uma ambição, de uma estratégia perseguida nos últimos anos, de ir sempre de mangas arregaçadas e focados no trabalho que temos pela frente”, destacou.

Mas de onde é que vem esta produção? É o impacto do Brasil. “O grosso do crescimento nos próximos dois anos vem do Brasil”, apontou.

Até final de de 2017, já deverão estar em operação as seis unidades FPSO, os navios-plataformas, que extraem e produzem petróleo. Actualmente, quatro destes navios-plataformas estão em operação, sendo o mais recente o FPSO Cidade de Itaguai (na foto), que começou a laborar em Julho.

A contribuir para este crescimento vai estar o bloco 32 em Angola, mas este contributo vai ser marginal em comparação com o impacto do Brasil.  (jornaldenegocios.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA