Fórum mobiliza investidores

Os promotores do fórum esperam que a edição deste ano venha a superar a dos anos anteriores. (Foto: Arimateia Baptista)
Os promotores do fórum esperam que a edição deste ano venha a superar a dos anos anteriores. (Foto: Arimateia Baptista)
Os promotores do fórum esperam que a edição deste ano venha a superar a dos anos anteriores.
(Foto: Arimateia Baptista)

Evento que se realiza no Lubango reúne mais de 200 empresários e prevê captar um volume de 500 milhões de dólares

A província da Huíla acolhe, hoje, dia 17, o primeiro fórum de negócios e oportunidades de investimento, denominado “InvestHuíla”. O evento acontece no quadro da estratégia lançada pelo Executivo no sentido de impulsionar a produção e diversificação no sector não petrolífero.

O fórum mobiliza não apenas a classe empresarial local, mas também conta com a participação de 200 empresários estrangeiros, provenientes de vários continentes, convidados a investir em vários sectores com potencialidades. A Huíla assume, desta forma, o compromisso de arregaçar as mangas para explorar os sectores da agricultura, pecuária, indústria extractiva e transformadora, turismo e outros de grande importância na província e adoptar uma nova postura face a actual conjuntura económica.

Este é o espírito que faz das terras altas da Chela, comprometer-se com a diversificação das fontes de receita, onde a o Governo da Província da Huíla, liderado por João Marcelino Tyipinge, quer um novo rumo para a realidade socioeconómica. Objectivo do evento O fórum de negócios e oportunidade acontece como resposta à questão da diversificação das fontes de recurso financeiro para diversificação da economia local e nacional no geral, num contexto económico adverso.

O esboço do projecto foi apresentado pelo vice-governador da Huíla para o Sector Económico, Sérgio da Cunha Velho, que preconiza a materialização de acções para contribuição na quota-parte no produto interno e ultrapassar os problemas macroeconómicos. Sérgio da Cunha Velho descreveu ainda que os objectivos do fórum estão alinhados com o plano provincial de desenvolvimento 2013-2017, entre os quais desenvolver, consolidar e diversificar a base económica da província.

O evento visa também valorizar a capacidade produtiva, agrícola, pecuária, indústria e turismo como área de eleição, sendo meio de captar investimentos. “Só com investimento é possível haver desenvolvimento”, afirmou. A província, com mais de 75 mil quilómetros quadrados e população de mais de 2,34 milhões de habitantes tem características económicas para a prática da agricultura e pecuária que podem ser aproveitadas pela classe empresarial.

Metas esperadas A estimativa para esta actividade, é fazer com que 40 por cento dos empresários possam investir naquela província e captar cerca de 500 milhões de dólares para impulsionar investimentos nos sectores agropecuário, turístico, imobiliário, industrial, mineral, incluindo o da saúde, educação e estimular a diversificação da economia da região. Já o governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, aponta outras metas do fórum como o incentivo ao empreendedorismo juvenil, pelo facto do momento estimular as parcerias entre jovens empresários e mulheres empresárias nacionais com investidores estrangeiros.

Marcelino Tyipinge ainda entende que o incremento dos investimentos na província e a diversificação dos sectores de actividades vai ter reflexo na criação de mais postos de trabalho. O governador da Huíla acredita também que a aposta na economia gera um aumento exponencial da taxa de empregabilidade e contribuindo para a rentabilidade social superior acima dos 53 por cento. “Este evento é uma iniciativa da sociedade civil huilana com o apoio institucional do governo da província. Temos características naturais e potencialidades que devidamente estimuladas, podem contribuir para o desenvolvimento socioeconómico da província e do país”, afirmou.

O vice-governador para o Sector Económico, Sérgio da Cunha, explica o trabalho de preparação do InvestHuíla começaram com a realização de encontros e ao mapeamento das potenciais áreas a investimento e registo dos indicadores por sectores. Sérgio da Cunha anunciou também que a garantia das acções e das recomendações do fórum tem espaço no gabinete de apoio ao investimento, cuja cria- ção está na forja, que vai estimular o estabelecimento de parceria público-privadas entre empresas nacionais e estrangeiras. De acordo com dados avançados, cada sector produtivos da província tem espaço para apresentar aos empresários as potencialidades existentes.

“Há possibilidades de muitos projectos virem a ser materializados com parceria público-privada. Não cabe so ao Governo fazer. O sector privado tem uma posição a tomar. Se juntarmos as nossas forças, a batalha pode facilmente ser vencida”, disse. Parcerias estratégias Os empresários huilanos participam em massa no fórum por ser uma oportunidade ímpar para o intercâmbio comercial com investidores de outras partes do país e do mundo. Por exemplo, o administrador do grupo Unione, Fernando Gomes, vê no encontro a ocasião ideal para o estabelecimento de parceria que visam a dinamização do projecto do Pólo de Desenvolvimento Industrial e Comercial em curso no município da Humpata.

Para ele, o potencial da província é um factor de sucesso. Já o director da cooperativa de criadores de gado do Sul de Angola, Álvaro Fernandes, a importância da realização deste fórum na província, assenta sobretudo na mobilização de diferentes players que podem ajudar a relançar a economia, aproveitando as potencialidade locais. O representante dos criadores de gado afirmou igualmente que o momento em que o país atravessa, precisa de iniciativas do género pelo facto de proporcionar oportunidade aos investidores que podem aplicar os seus capitais, criando riqueza e postos de trabalho para a juventude e gerar desenvolvimento. “Os investidores visitantes vão encontrar as condições para investir.

Vão ser postos à disposição das várias oportunidades de negócio”, referiu. Participação dos jovens O fórum angolano de jovens empreendedores (FAJE) da Huíla, representado neste evento por Gracinda Gonçalves, considera a ocasião como um espaço ideal para os jovens empresários trocarem experiências e buscar parceria com vantagens recíprocas. Por outro lado, o director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Lutero Campos, referiu que as potencialidades do sector agropecuário estão à disposição dos empresários interessados em tirar as vantagens através de investimentos.

Lutero Campos apresenta ainda as vastas extensões de terras aráveis disponíveis na província nos perímetros irrigados e não só, onde os investidores podem investir para produzir em grande escala cereais, tubérculos, horto-frutícolas e outros produtos alimentares. “Os investidores podem implantar os meios para os espaços disponíveis. Isso promove a geração de riqueza e emprego. Os empresários podem investir e canalizar recursos para a produção de arroz e trigo, além do milho para reserva alimentar, sementes e outros para apoiar o surgimento às agro-indústria”, disse. (jornaldeeconomia.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA