Ex-primeiro ministro moldavo é detido em escândalo de corrupção de US$ 1 bi

(AFP)
(AFP)
(AFP)

O ex-primeiro-ministro moldavo Vlad Filat foi detido nesta quinta-feira no âmbito da chamada “fraude do século”, um escândalo de corrupção de US$ 1 biliões que provocou protestos maciços e pedidos de renúncia.

O Ministério Público acusou Filat, que dirige o pró-europeu Partido Liberal Democrata da Moldávia, de retirar 250 milhões de dólares do sector bancário do país empobrecido.

O ex-primeiro-ministro foi detido no Parlamento por funcionários da agência anti-corrupção.

No total, a justiça busca o destino de US$ 1 biliões que desapareceram do sistema bancário em Abril passado. No total, três bancos liberaram empréstimos neste montante, que correspondem a 10% do PIB do país, a beneficiários com identidade desconhecida.

Filat teria ficado com um quarto desta quantia.

O escândalo causou manifestações de protesto em um país de 3,5 miliões de habitantes, com marchas diárias de protesto na capital, Chisinau.

Na quinta-feira, os manifestantes bloquearam o Parlamento, onde era votada a suspensão da imunidade parlamentar de Filat, para que o ex-primeiro ministro não pudesse deixar o local.

A detenção foi saudada pelos manifestantes.

“A indignação dos representantes que foram às ruas de Chisinau obrigou o Parlamento a chegar a um compromisso”, explicou Renato Usaty, líder de um partido pró-russo, o Partidul Nostru (Nosso Partido).

A Moldávia é um país extremamente pobre, encravado entre a Ucrânia e a Roménia. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA