Diplomata chinês ressalta medidas do Executivo para combate à crise

Cui Aimin - Embaixador da China em Angola (Foto: Clemente Santos)

O embaixador da China em Angola, Cui Aimin, ressaltou nesta terça-feira, em Luanda, as medidas tomadas pelo Executivo Angolano, tendentes a contrapor os efeitos da baixa do preço do petróleo no mercado internacional.

“O governo e o povo angolano têm plena convicção dessas dificuldades temporárias”, referiu à imprensa, à saída de uma audiência com o presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos.

O diplomata assegurou à imprensa que a China é e continuará a ser um grande amigo e parceiro credível de Angola.

Segundo Cui Aimin, que analisou o nível das relações entre Angola e a China, durante o encontro reafirmou ao presidente do Parlamento a determinação do Governo Chinês de continuar a promover o alargamento das elações bilaterais.

Disse haver interesse daquele país ajudar Angola a ultrapassar as dificuldades temporárias o mais rápido possível.

Advogou que, além da construção de infra-estruturas, a cooperação sino-angolana deve expandir-se às áreas da agricultura, pescas, saúde, ensino e formação de quadros.

Observou que as economias de Angola e da China estão a passar por uma fase de transformação e ajustamento, sublinhando que as medidas pragmáticas tomadas por ambos os países visam proporcionar um futuro melhor para o bem-estar das suas populações. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA