Definido o júri dos prémios lusófonos de criatividade

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

As categorias da 3ª Edição dos Lusos, Prémios Lusófonos da Criatividade, já têm júris-presidentes. Os galardões visam premiar o melhor da área de TV e Cinema, Imprensa, Rádio, Outdoor, Digital, Mobile, Media, Relações Públicas / Assessoria de Imprensa, Design, Produção, Marketing Relacional, Activação e Eventos e Briefing Aberto. Cada categoria conta com um painel de jurados e um presidente de júri, nomes largamente reconhecidos do sector da comunicação, de todos os países lusófonos.

Portugal destaca a presença de Edson Athayde, CEO e CCO da FCB Lisboa, que ocupa a presidência de júri na categoria de Rádio. Para as Relações Públicas, Nuno Mendão, CEO da OMNI Partners e ainda Augusto Fraga, da Krypton, na Produção.

Luís Costa, Executive Director da Born, preside a categoria de Activação e Eventos, ocupando a presidência da categoria de Briefing Aberto, Manuel Soares de Oliveira da Mosca Publicidade.

O Brasil conta com a presença de conceituadas individualidades do setor como Felipe Luchi, Executive Creative Director da Lew / Lara TBWA Brasil, que preside à categoria de TV e de Rodrigo Jatene, Chief Creative Officer da Grey Brasil, à de imprensa.

Rafael Pintangui, Director Geral de Criação da África, preside à categoria de outdoor. Na categoria de Digital, a organização destaca o jurado brasileiro Marco Versolato, Vice-Presidente de Criação da DM9DDB.

O painel da Presidência de Júri é ainda composto por Daniel Tártaro, Country Manager da OgilvyOne Brasil, para a categoria de mobile, João Dabbur, Media Director, da JWT Brasil, para a Media;

Gustavo Piqueira, owner da Casa Rex no Brasil e Vitor Barros, client services and management VP da Propeg, integram as categorias de Design e Marketing Relacional, respectivamente.

Criados em 2013, os únicos prémios internacionais de comunicação e publicidade exclusivos dos países de língua oficial portuguesa, que durante o último ano reuniu mais de 70 agências oriundas de Angola, Brasil, Cabo Verde, Macau, Moçambique e Portugal, num total de 1.300 trabalhos inscritos, conta já com três anos de existência e centenas de profissionais que trabalham para criar um ADN de comunicação em língua portuguesa.

Os Lusos privilegiam as agências que trabalham todo o ano em prol da criatividade na comunicação, as agências inscrevem todos os quadrimestres, de forma a pontuarem para o ranking lusófono e também do seu país, e uma vez por ano as agências e os profissionais vêem reconhecidos a qualidade e o profissionalismo durante a gala que reúne o mundo lusófono da comunicação. Há um primeiro lugar, mas todos os que têm a sua inscrição aceite, é a prova de reconhecimento do seu trabalho entre os seus pares. (premioslusos.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA