Cuanza Norte: Polícia Nacional considera estável situação da segurança pública

Cuanza Norte: Actuação policial estabiliza situação da segurança pública (Foto: Diniz Simão)
Cuanza Norte: Actuação policial estabiliza situação da segurança pública (Foto: Diniz Simão)
Cuanza Norte: Actuação policial estabiliza situação da segurança pública (Foto: Diniz Simão)

A Polícia Nacional no Cuanza Norte considera haver uma assinalável estabilidade nas incidências da criminalidade nos últimos tempos, na província, apontando o registo, nas últimas 24 horas, de dois delitos, contra quatro do dia anterior.

A constatação vem explícita no relatório do comando provincial da corporação relativo à segurança pública do dia 26 de Outubro corrente, que aponta a ocorrência de um caso de posse de 12 quilos de estupefaciente (liamba) e de outro consubstanciado numa ofensa corporal voluntária simples, por espancamento.

O informe atribui tal logro à aposta na implementação de acções que visam a redução da taxa de criminalidade e da sinistralidade rodoviária na região por via de um policiamento eficaz e efectivo, com prioridade para as acções de prevenção.

Apresenta ainda como linhas de força para se conseguir este desiderato o reforço da vigilância policial e da confiança dos cidadãos no trabalho da polícia, melhoria da busca e do tratamento da informação, assim como a descoberta dos focos delituosos.

O movimento delituoso do dia 26 de Outubro produziu um detido.

No domínio da sinistralidade rodoviária o informe indica um quadro nulo de ocorrências nas últimas 24 horas, sem no entanto espelhar o número de acidentes registados no dia anterior.

O incremento das acções de sensibilização dos automobilistas e dos utentes da via pública no sentido de mais prudência no exercício da condução e na utilização das estradas consta também das medidas operativas para a estabilidade da segurança pública, de acordo com o relatório.

A esses procedimentos o órgão associa a elaboração de um programa intervenção específico de combate aos crimes mais frequentes em cada município, atendendo a forma como foram cometidos. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA