Cuanza Norte: Pescadores em Cambambe associam actividade pesqueira à formação

Pesca na lagoa do Ngolome terá componente formativa (Foto: Angop)
Pesca na lagoa do Ngolome terá componente formativa (Foto: Angop)
Pesca na lagoa do Ngolome terá componente formativa (Foto: Angop)

Os pescadores de diferentes lagoas do município de Cambambe, província do Cuanza Norte, vão associar a actividade piscatória à formação técnico-profissional, à luz das estratégias do Ministério das Pescas, visando garantir a manutenção e a rentabilização do centro de apoio à pesca artesanal do Ngolome.

A garantia foi dada à Angop, no Dondo, pela coordenadora do referido centro, Maria Angélica, salientando que esta componente faz parte do modelo de gestão a ser adoptado para a sustentabilidade da plataforma do Ngolome, inaugurada a 12 do corrente mês, pela ministra das Pescas, Victória de Barros Neto.

Referiu que a edificação da infra-estrutura decorreu em paralelo com a formação de 50 pescadores especializados em frio, serralharia, marcenaria, electricidade e mecânica, com o objectivo de se responsabilizarem pela manutenção constante das diversas áreas de serviço que compreendem o centro.

A formação será extensiva aos demais pescadores, no quadro da transferência de conhecimentos para diminuir os custos operacionais de cada embarcador, já que muitos destes utilizam embarcações motorizadas e assim poderão solucionar os seus problemas localmente.

Outra valência tem a ver com o facto de o centro estar dotado de espaço para a formação em diversas artes e ofícios, permitindo a confecção de diversos produtos a ser comercializado para o aumento das receitas daquela unidade de processamento de pescado.

Maria Angélica disse ainda que entre os pescadores formados, seis tiveram formação complementar nas Repúblicas do Senegal e da Tanzânia, onde trocaram impressões com pescadores locais, cujas experiências serão aqui partilhadas.

Tais competências permitirão a produção e processamento de um pescado de qualidade, à altura das exigências do mercado Nacional e internacional, tendo em atenção as novas técnicas de tratamento pós- captura do peixe.

Entre os pescadores formados, esclareceu, vinte fazem parte do comité de gestão, a quem cabe maior responsabilidade para a dinamização do empreendimento, o primeiro a nível nacional, e que servirá de modelo para os futuros desafios do Ministério das Pescas, relativamente ao sector da pesca artesanal e continental.

A fonte garantiu que a componente de comercialização está assegurada, sendo os centros sociais e a rede de súper mercados os que mais absorverão a produção do Ngolome.

Situada há 66 quilómetros do Dondo, sede do município de Cambambe, na comuna de Massangano, a infra-estrutura está vocacionada á implementação de técnicas modernas de tratamento do peixe, que incluem a escalagem, conservação, fumaça, secagem, embalagem e comercialização. O empreendimento atenderá o circuito piscatório do Noroeste de Angola, envolvendo as províncias de Luanda, Malanje, Bengo, Zaire, Cuanza Sul e Uíge.

Possui fábrica de gelo, câmaras frigoríficas, armazéns, loja de venda de pescado e de artefactos de pesca, área administrativa, refeitório, mecânica náutica, depósito de combustíveis, entre outras dependências. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA