Cuando Cubango: Defendida maior adesão da juventude nos cursos técnico-profissionais

Cuando Cubango: Nelito Michael Raquel Zeca, coordenador do centro de formação das Cáritas de Angola em Menongue (Foto: Armandio Morais)
Cuando Cubango: Nelito Michael Raquel Zeca, coordenador do centro de formação das Cáritas de Angola em Menongue (Foto: Armandio Morais)
Cuando Cubango: Nelito Michael Raquel Zeca, coordenador do centro de formação das Cáritas de Angola em Menongue (Foto: Armandio Morais)

O coordenador do centro de formação técnico profissional das Caritas de Angola no Cuando Cubango, Nelito Michael Raquel Zeca, aconselhou hoje, terça-feira, os jovens locais no sentido de aderirem, em massa, os cursos de formação técnico-profissional, por formas a munirem-se de ferramentas úteis e enfrentarem o mercado de trabalho.

Em declarações à Angop, Nelito Michael Raquel Zeca informou que o centro tem a disposição de todos os interessados cursos de informática, contabilidade, gestão de recursos humanos, rede de computadores, programação, electricidade, culinária, canalização, entre outros.

Destacou que o curso de informática tem sido o mais concorrido, chegando muitas vezes aos 70 matriculados, por trimestre.

Quanto aos demais cursos, o número tem sido bastante reduzido, matriculando de 20 a 10 interessados, referiu o coordenador.

“ Existem cursos que as pessoas não dão importância e dificilmente aderem, como canalização, programação e redes de computadores. São cursos muito importantes mas as pessoas não sabem o objectivo e funcionamento. Por isso, deve procurar se informar e saber a importância de cada curso na vida social e humana”, defendeu.

De acordo com o responsável, durante o presente ano o centro realizou três ciclos formativos, tendo iniciado em Janeiro, e com o término previsto para Dezembro próximo, referindo que nos dois primeiros ciclos foram formados 150 jovens, ao passo que no presente ciclo estão registados cerca de 75 formandos, em todos os cursos.

Nelito Michael Raquel Zeca disse estar disponível cursos de inglês, francês e português, lamentando apenas a baixa aderência da juventude.

Para a aderência aos cursos, o coordenador explicou que os candidatos devem ter mais de 12 anos de idade, saber ler e escrever, apresentar uma cópia de Bilhete de Identidade, duas fotografias tipo passe e a declaração de habilitações literárias.

Actualmente, o centro conta com 23 funcionários, dos quais 17 formadores e cinco administrativos. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA