Comandante da AFRICOM elogia visão do estadista angolano pela realização da conferência sobre segurança marítima

DAVID RODRIGUES - COMANDANTE DA AFRICOM (Foto: Francisco Miudo)

O comandante da força norte-americana para a África (AFRICOM), David Rodrigues, valorizou nesta sexta-feira, a iniciativa de Angola, em especial do Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos, na organização da conferência Internacional sobre segurança marítima e energética, que decorre em Luanda desde quinta-feira.

DAVID RODRIGUES - COMANDANTE DA AFRICOM (Foto: Francisco Miudo)
DAVID RODRIGUES – COMANDANTE DA AFRICOM (Foto: Francisco Miudo)

“Gostaria de agradecer ao Presidente dos Santos e ao Governo de Angola por acolherem a conferência sobre este assunto de grande importância. (…) Esta é uma zona de intersecção para a segurança, a prosperidade económica e para o ambiente. Um assunto em que os interesses
nacionais, regionais e globais convergem”, afirmou.

David Rodrigues discursava no segundo e último dia da Conferência Internacional sobre segurança marítima e energética.

Enalteceu ainda o empenho do  Executivo  angolano por patrocinar este evento e reunir muitos profissionais marítimos, centrados numa causa comum.

O comandante da força americana considerou a segurança marítima como um imperativo internacional não poderia ser mais impressionante.

Adianta que o desafio colectivo é continuarmos a trabalhar juntos como uma comunidade internacional.

O número de países aqui reunidos hoje, representando todos os continentes, é uma clara confirmação de que a segurança marítima é uma prioridade internacional.

Afirmou que encara a conferência, bem como o número crescente dos esforços regionais e continentais para melhorar a segurança marítima, como um marco importante, numa contínua mudança no pensamento estratégico sobre a relevância do domínio marítimo de África.

“Um domínio rico em recursos e desenvolvimento potencial para a energia, comércio, transportação, alimento e turismo”, mas também uma área de insegurança que requer atenção cuidada e respostas perspicazes.

Declarou que as nações africanas têm trabalhado em conjunto para encontrar soluções para as ameaças e desafios que as confrontam e que a América continua a buscar formas de as assistir e apoiar. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA