Chelsea. Quem brinca com o fogo…

(Sergei Chuzavkov/AP)
(Sergei Chuzavkov/AP)
(Sergei Chuzavkov/AP)

A margem está curta.

Três jogos, apenas uma vitória. O Chelsea de José Mourinho ainda só conseguiu derrotar o Maccabi Telavive na Liga dos Campeões e voltou a sair de um confronto com adversários teoricamente directos sem somar os três pontos. Depois do desaire no Dragão, os londrinos empataram na Ucrânia sem golos num encontro em que nunca comprovaram o suposto favoritismo.

A equipa não está a corresponder e os sinais percebem-se até nos pormenores. Não só na postura do português mas também na forma como mexe – ou deixa de mexer – na equipa. Falcao, outrora um dos melhores avançados do mundo, está agora resignado ao banco de suplentes sem espaço para entrar. Aí, só mesmo Oscar saiu do banco para render Fàbregas a quinze minutos do fim.

O Dínamo, com Miguel Veloso no banco, acreditou cada vez mais e terminou o jogo em cima da baliza de Begovic mas também não chegou ao golo. É certo que o Chelsea ainda joga em casa com os dois principais rivais mas, se acabasse agora, estava de fora dos oitavos-de-final. A margem está curta.

 

GRUPO E

BAYER-ROMA, 4-4

Tem tudo para ser o jogo da fase de grupos. Chicharito bisou e fez o 2-0, De Rossi empatou para o 2-2, Pjanic e Falqué deixaram os italianos com 4-2 aos 73 minutos. Mas Kampl (84’) e Mehmedi (86’) construíram mais um 4-4 em Leverkusen. Um outro foi em 1994, com o Benfica.

 

BATE-BARCELONA, 0-2

Os catalães só tinham 18 minutos de Liga dos Campeões em vantagem no marcador até chegar à Bielorrússia. Tiveram de sofrer contra uma defesa de onze mas Rakitic desbloqueou o encontro com dois golos na segunda parte, aos 48 e 64 minutos.

 

GRUPO F

ARSENAL-BAYERN, 2-0

O futebol é assim mesmo. Os gunners perdem com Dínamo Zagreb e Olympiacos mas levam a melhor sobre o Bayern. Giroud mostrou que pode ser melhor do que Neuer a jogar com as mãos aos 77’ e um alemão, Özil, matou o jogo no tempo de compensação.

 

DÍNAMO-OLYMPIACOS, 0-1

Segunda vitória consecutiva para os gregos na Liga dos Campeões. Marco Silva levou a melhor sobre Eduardo, Gonçalo Santos e Paulo Machado e festejou os três pontos graças a um golo solitário de Ideye aos 79 minutos. O grupo promete e continua tudo em aberto.

 

GRUPO H

VALENCIA-GENT, 2-1

Os belgas marcaram três golos mas saíram do Mestalla com zero pontos. Foket, após assistência do ex-Sporting Renato Neto, marcou mas foi insuficiente para ultrapassar os autogolos dos companheiros de equipa Lasse Nielsen e Stefan Mitrovic (ex-Benfica).

ZENIT-LYON, 3-1

A equipa de André Villas-Boas está com um pé e meio nos oitavos-de-final. Um calcanhar de Lacazette (1-1 aos 49’)_ainda assustou mas Hulk abriu o livro com um míssil do meio da rua aos 56’. Danny, aos 82’, marcou o único golo português da noite europeia. (ionline.pt)

por Rui Pedro Silva

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA