Centros de apoio à pesca cobrem litoral angolano

Pescas assina acordo com a FAO. Pescas assina acordo com a FAO (Foto: JA)

Novos centros de apoio à pesca artesanal vão ser construídos ao longo do litoral angolano, no âmbito de um acordo de cooperação bilateral de mais de 40 milhões de dólares assinado terça-feira em Luanda entre o Ministério das Pescas e o Fundo das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Pescas assina acordo com a FAO. Pescas assina acordo com a FAO (Foto: JA)
Pescas assina acordo com a FAO. Pescas assina acordo com a FAO (Foto: JA)

O acordo, assinado pela ministra das Pescas, Vitória de Barros Neto, e o representante da FAO em Angola, Mamoudou Diallo, é financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e prevê igualmente a construção de vias de acesso aos centros de apoio à pesca artesanal, assistência técnica na recolha de informação estatística e boas práticas de gestão no domínio das pescas.

A ministra das Pescas lembrou que a assinatura do acordo com a FAO se insere num outro assinado com o BAD em 2013, que tem como objectivo, não só reforçar os centros de apoio à pesca artesanal (construídos na primeira fase), mas também a construção de novos centros de apoio.

“Devemos tirar proveito de toda a experiência acumulada pela FAO, não só no domínio da alimentação, mas também no domínio das pescas, uma área que constitui uma prioridade para o Executivo, pelo facto de criar muitos postos de trabalho, contribuindo assim para a redução da pobreza e da fome no país”, disse Vitória de Barros Neto.

O representante da FAO em Angola considerou que a celebração do acordo de assistência técnica é o testemunho da dinâmica parceria estabelecida no protocolo de entendimento assinado a 19 de Agosto de 2013, entre as duas instituições.

“A assinatura deste novo projecto, que surge numa parceria tripartida BAD-MINPESCAS-FAO é um sinal do empenho do Ministério no quadro da concretização da política do Executivo de aceleração da diversificação económica”, referiu Mamoudou Diallo.

Agradeceu ao BAD por ter aceite financiar este  projecto e assegurou a melhor assistência possível para a implementação do projecto, que vem completar e reforçar os outros projectos de cooperação entre o Ministério das Pescas e a FAO, em execução, nomeadamente o apoio à pesca artesanal no noroeste do país, mapeamento da aquacultura e estatísticas das pescas.

“Em nome da FAO, quero assegurar que tudo será feito para a continuação do apoio ao sector das pescas, na implementação dos seus programas sectoriais”, declarou. O representante do BAD em Angola, Septime Martins, frisou que o apoio à pesca artesanal vai contribuir significativamente numa fase importante da diversificação da economia do país.

“Queremos melhorar a eficiência no sector das pescas e este acordo é testemunho do esforço do Ministério no sentido de criar condições para contribuir para a diversificação económica de Angola”, disse.
Septime Martins lembrou que o BAD é a instituição continental que tem como missão ajudar os países membros no alcance dos objectivos de desenvolvimento socioeconómico. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA