Camilo Ceitas destaca benefícios do inquérito sobre indicadores múltiplos de saúde

CAMILO CEITAS DIRECTOR GERAL DO INE (foto: Angop)

Lubango – O director-geral do Instituto Nacional de Estatística (INE), Camilo Ceitas, considerou sexta-feira, no Lubango, Huíla, que a recolha de dados sobre os indicadores múltiplos de saúde vai permitir que o Executivo conheça os números reais das principais doenças que afectam a população.

CAMILO CEITAS DIRECTOR GERAL DO INE (foto: Angop)
CAMILO CEITAS DIRECTOR GERAL DO INE (foto: Angop)

Falando na cerimônia de encerramento da formação nacional sobre o Inquérito Múltiplos de Saúde, que teve a duração de 33 dias, Camilo Ceitas referiu que o processo permitirá que o Estado angolano conheça a prevalência do HIV/Sida, Malária e mal nutrição.

O responsável máximo do INE disse que este ano o instituto vai também definir as metas sobre os diversos indicadores, quer sociais, económicos e políticos, uma vez que o país já realizou em 2014 o Censo Geral da População, e agora é preciso conhecer outros detalhes.

Com este processo, o Executivo vai analisar e reflectir sobre os projectos ligados aos aspectos de saúde, violência doméstica, na perspectiva de corrigir os seus programas para o futuro.

“A materialização destas acções só será possível com a participação de todos principalmente dos inquiridores do Ministério da Saúde e do INE, pois vão passar de casa-a-casa para conhecer o estado de sanidade dos angolanos, o que requererá grandes esforços dos técnicos”, realçou.

Segundo disse, o Instituto Nacional de Estatística e o Ministério da Saúde deram todas as ferramentas para que dentro de 160 dias, o inquérito sobre indicadores múltiplos de saúde decorra como planeado.

A acção formativa, que reúne 298 técnicos do Instituto Nacional de Estatística (INE) e do Ministério da Saúde, teve como propósito capacitar os quadros em matérias que têm a ver com o inquérito sobre o modo de vida das populações, principalmente no domínio sanitário.

Durante 33 dias, os participantes foram formados em questões relacionadas com a combinação da renda familiar, emprego, educação sanitária, taxa de fecundidade, mortes maternas, índices de mortalidade infantil a demografia e entre outros. Esta é a primeira acção formativa do género que o INE realiza este ano na Huíla. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA