Cabo Verde: Ribeira da Barca acolhe projecto experimental de uma embarcação para reforçar cantinas escolares

(inforpress.publ.cv)
(inforpress.publ.cv)
(inforpress.publ.cv)

A localidade de Ribeira da Barca, concelho de Santa Catarina (interior de Santiago) foi a escolhida pela Ficase, através da APEERB, para receber o projecto experimental de uma embarcação para reforçar as cantinas escolares.

Essa informação foi avançada à Inforpress pelo gestor pedagógico da Escola nº 43 da Vila de Ribeira da Barca, João Rocha, um dos mentores da criação da Associação dos Pais e Encarregados de Educação de Ribeira da Barca (APEERB).

Segundo este responsável, este projecto foi criado no âmbito do reforço às cantinas escolares para Ribeira da Barca a título experimental, e estima que no futuro vai ser um projecto maior que abrangerá todo o concelho de Santa Catarina.

Destacou como ganho 20 postos de trabalho directos para 20 pescadores escolhidos pela associação que já receberam formação de três dias em gestão de recurso, postura dos mesmos dentro do empreendimento e segurança no mar, argumentando que 15 lugares serão garantidos, e os outros restantes que ficarão na terra, a organização propõe a “rotatividade” para que todos se beneficiem.

“Nós estamos entusiasmados com este projecto”, regozijou para salientar que depois da conclusão do navio, a organização vai assinar um protocolo com a Ficase para gerir a embarcação, tendo em conta a questão da sustentabilidade e a questão de percentagem de peixe que tem que ser entregue “obrigatoriamente” à cantina da escola do pólo educativo de Ribeira da Barca e também a sua manutenção.

O único constrangimento que se tem deparado é com a alteração do projecto que, por ser um barco “muito grande” para ter um motor de borda, passará a ter um de fundo que vai acarretar mais custo visto que têm que traze-lo de Portugal, mas garantiu que a embarcação estará pronto em Janeiro de 2016.

João Rocha acrescentou ainda que, com os ganhos financeiros da embarcação, a APEERB vai canalizar os recursos em outros projectos que beneficiam não só a comunidade académica, mas toda a população local, explicando que a ambição da associação não se limita apenas em educação.

O projecto é financiado pela Ficase em parceria com o INDP (Instituto Nacional de Desenvolvimento das Pescas) no valor de mais de 5 mil contos (barco, motor, rede de 200 brasas e todos os outros equipamentos), já está sendo construído e entrará em funcionamento em 2016. (inforpress.publ.cv)

FM/ZS

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA