Bié: Reafirmado empenho do Governo nas acções em benefícios da mulher rural

Bié: José Fernando Chatuvela - Vice-governdor provincial (Foto: Aurélio Segunda)
Bié: José Fernando Chatuvela - Vice-governdor provincial (Foto: Aurélio Segunda)
Bié: José Fernando Chatuvela – Vice-governdor provincial (Foto: Aurélio Segunda)

O vice-governador do Bié para os serviços técnicos e infraestruturas, José Fernando Chatuvela, reafirmou o empenho do governo da província e do Executivo nas acções que concorram para a melhoria das condições sociais das mulheres rurais, através da implementação de vários programas.

José Fernando Chatuvela, fez esta afirmação hoje, sexta-feira, à imprensa local na cidade do Cuito, no acto de encerramento da jornada da Mulher Rural que decorreu sob lema “O Contributo da Mulher Rural na Diversificação da Economia”.

José Fernando Chatuvela precisou na ocasião que o governo está nos últimos anos a implementar programas de alfabetização e aceleramento escolar, micro-créditos e distribuição de imputes agrícolas, apoio e formação das parteiras tradicionais, programa de combate a pobreza, entre outros.

A chefe de departamento da promoção da mulher, Lídia Lordes Lucas, em representação da directora provincial da família e promoção da mulher no Bié, Carolina Isaac, sublinhou que a mulher rural constitui parte da franja da sociedade angolana e a maior força de trabalho e da produtividade da nação.

Desta feita, referiu, ela tem sido alvo da atenção social do governo angolano, razão pela qual, o plano nacional de desenvolvimento 2913/2017 privilegia as acções que dinamiza uma maior inclusão social e económica da mulher rural.

Lídia Lordes Locas, sublinhou que a jornada aberta no passado dia seis do mês em curso teve como finalidade promover a inserção social e económica das mulheres rurais, bem como destacar o seu contributo real e potencial no processo de diversificação da economia da nação.

Afirmou ser importante que a mulher rural diversifique a produção agrícola, para que o país deixe de importar bens alimentares que podem ser produzidos no país, pois o campo oferece muitas potencialidades que devem ser aproveitadas.

A responsável apelou igualmente às mulheres a apostarem mais na produção agrícola, para criarem a auto-suficiência alimentar no seio das famílias e consequentemente contribuir na diversificação da economia.

Entretanto, o encerramento foi antecedido de uma palestra que abordou temas relacionados com a operacionalização das recomendações do fórum de auscultação à mulher rural, como oportunidade de participação na diversificação da economia, revitalização do crédito agrícola de campanha e seu impacto na mulher rural e na diversificação da economia.

A mulher rural no movimento associativo e cooperativo provincial e sua participação nos órgãos de decisão, o associativismo e cooperativismo como modelo de economia solidária, um olhar para a nova lei de cooperativa e seu impacto na diversificação da económica, também fizeram parte do evento. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA