Bengo: Vice-governador defende melhor planificação das áreas urbanas

Campos Major - Vice-governador do Bengo para área técnica e infra-estruturas (Foto: Adão João Pedro)
Campos Major - Vice-governador do Bengo para área técnica e infra-estruturas (Foto: Adão João Pedro)
Campos Major – Vice-governador do Bengo para área técnica e infra-estruturas (Foto: Adão João Pedro)

O vice-governador para Serviços Técnicos e Infraestruturas do Bengo, José Armando Sebastião Campos Major, defendeu sexta-feira, na cidade de Caxito, a necessidade de melhor planificação nas áreas urbanas, para o ideal cidades sustentáveis e inclusivas.

O governante, que falava no workshop promovido pelo Instituto de Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano (INOTU), sublinhou que a criação de cidades melhores exige uma conjugação de esforços por parte do Estado, das entidades públicas, privadas e da sociedade em geral.

Frisou que as áreas urbanas são particularmente vulneráveis, incluindo os crescentes riscos associados às mudanças climáticas.

Realçou que os principais desafios que as cidades hoje enfrentam têm a ver com o desemprego, especialmente entre os jovens, as desigualdades sociais e económicas.

Disse que as cidades possuem espaços públicos de qualidade que promovem coesão social, saúde, lazer e bem-estar, fomentam a cidadania e criatividade para o desenvolvimento económico e sustentabilidade do meio ambiente.

Esclareceu ainda que os espaços públicos possuem diversas formas como ruas, parques infantis, bibliotecas, escolas e outras infraestruturas públicos.

Considerou o dia 05 de Outubro (Dia Mundial do Habitat) como sendo de reflexão sobre o estado das cidades e do direito humano, para além da responsabilidade colectiva, sobre o habit das gerações futuras.

O workshop sob lema “melhor cidade, melhor qualidade de vida” contou com a participação de administradores municipais e comunais, responsáveis do Instituto de Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano (INOTU), autoridades tradicionais, estudantes e convidados.

“Os desafios da expansão das cidades” “ o papel do Ordenamento do território na diversificação da economia”, “a importância do sistema nacional de informação territorial” e “a necessidade de rentabilização dos serviços do INOTU” foram os assuntos em abordagem no Workshop. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA