Autoridades guineenses mandam encerrar farmácias

(Getty Images/E+/Savushkin)
(Getty Images/E+/Savushkin)
(Getty Images/E+/Savushkin)

Mais de quarenta farmácias em Bissau foram mandadas encerrar pelo governo guineense. Esta é uma situação contestada pelos profissionais do sector que foram recebidos pelos governantes do ramo. Em causa estaria o desrespeito do dispositivo legal por parte dos farmaceuticos.

A polémica está instalada entre os operadores das farmácias da Guiné-Bissau e o ministério da Saude Pública.

Mais de 40 farmácias em Bissau foram encerradas pela inspecção-geral da Saude Publica que as acusa de desrespeito às regras de funcionamento.

Farmácias sem equipamentos, farmácias sem condições de armazenamento dos medicamentos, sem pessoal qualificado, farmácias que no lugar dos medicamentos vendem venenos aos pacientes, farmácias que não respeitam a ordem legal que manda que entre duas farmácias deve haver pelo menos 500 metros de distância.

O Inspector-geral da Saude Publica, não vê outra saída que não seja mandar encerrar mais de 40 estabelecimentos.
Os operadores das farmácias foram apresentar queixa ao novo secretário de Estado da Administração Hospitalar, Martelene dos Santos, a quem pedem que intervenha.

O Governante diz que sim, compreende a preocupação dos operadores das farmácias, na sua grande maioria cidadãos da Mauritania, mas também quer que a lei seja respeitada.

Foi criada uma comissão tripartida: Governo, sindicato do pessoal da saúde e os operadores das farmácias para analisar caso a caso a situação das mais de 40 farmácias encerradas há mais de uma semana. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA