Assim como Marte, Plutão tem água; mas Nasa revela algo a mais do planeta

(Reprodução/NASA)
(Reprodução/NASA)
(Reprodução/NASA)

Se alguém esperava vida em Plutão, fica para a próxima. A descoberta feita pela Nasa e divulgada nesta quinta-feira (8) é gigantesca, mas não tem relação — pelo menos até agora — com a existência de vida extraterrestre.

A agência espacial norte-americana divulgou que os estudos feitos através da sonda New Horizons mostram que há presença de água congelada em Plutão. Além disso, o planeta também tem céu azul.

“Grandes extensões de Plutão não mostram água congelada exposta directamente na superfície. Isso porque ela é aparentemente encoberta por outros tipos de gelo mais voláteis e que estão em quase todo planeta. Entender o porquê de a água aparecer e sua localização exacta é o desafio”, explica Jason Cook, especialista da Nasa.

Manchas azuis mostram presença de água congelada em Plutão (Reprodução/NASA)
Manchas azuis mostram presença de água congelada em Plutão (Reprodução/NASA)

Além do aparecimento repentino de água congelada em determinados pontos, a Nasa ainda procura explicações para outro fenómeno: a coloração. Segundo os especialistas, em diversas áreas a água congelada aparece com um vermelho brilhante.

“Estou bastante supresa que esse gelo de água seja tão vermelho. Nós ainda estamos a tentar entender a relação entre esse tipo de gelo e os corantes em tons avermelhados encontrados na superfície de Plutão”, afirma Silvia Protopapa, membro da equipe de ciências da Universidade de Maryland.

Céu azul chama atenção

Diferente do que aconteceu com Marte, porém, as descobertas não param com a presença de água. Chamou atenção dos especialistas também a presença de o céu ser azul, similar ao da Terra, encontrado em Plutão.

“É impressionante a tonalidade azul que nós vemos na composição das partículas da neblina. Um céu azul muitas vezes resulta da dispersão de luz solar por partículas muito pequenas. Na Terra, essas partículas são pequenas moléculas de nitrogênio. Já em Plutão aparentam ser maiores, apesar de ainda muito pequenas”, diz Carly Howett, da Nasa.

De acordo com informações, as partículas da neblina em questão são cinzas ou vermelhas mais provavelmente, mas a maneira como se dispersam na luz faz delas azuis e têm chamado atenção da Nasa. Os especialistas, agora, irão estudar melhor a sua composição molecular na atmosfera de Plutão. (yahoo.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA