Angola é dos estados africanos mais respeitados a nível internacional, diz Vice-Presidente

Vice-Presidente da República, Manuel Domingos Vicente (Foto: Pedro Parente)
Vice-Presidente da República, Manuel Domingos Vicente (Foto: Pedro Parente)
Vice-Presidente da República, Manuel Domingos Vicente (Foto: Pedro Parente)

Angola é hoje um dos países africanos mais respeitados no plano internacional e um parceiro preferencial para se promover a paz, a estabilidade e o desenvolvimento na região em que se insere, afirmou hoje, em Luanda, o Vice-Presidente da República, Manuel Domingos Vicente.

O dirigente angolano discursava em nome do Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos na sessão solene de abertura da 4ª Sessão Legislativa da 3ª Legislatura.

O titular do poder Executivo não pôde estar presente no parlamento por “indisponibilidade momentânea”, segundo indica uma nota de imprensa da Casa Civil do Presidente da República, distribuída antes da sessão .

“Angola foi eleita como Membro Não Permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas para o período 2015-2016, preside a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos, sendo um parceiro fundamental para a construção da paz nesta tão perturbada região do Continente e igualmente preside ao Comité Consultivo Permanente da ONU para a Segurança na África Central”, realçou Manuel Vicente.

Para o Vice-Presidente, Angola tem vindo a reforçar as suas relações com a União Africana, Banco Africano de Desenvolvimento e com as instituições de Bretton Woods, tendo aderido ao Fundo Africano de Desenvolvimento e tem sido cumpridor em termos de metas de convergência na área regional da SADC.

Apesar da sua situação económica actual, prosseguiu “o nosso país é, à excepção do Botswana, aquele que detém o rácio de cobertura de importações mais confortável, que neste momento se situa entre os 6 e 7 meses”.

“Acreditamos que este período de maior fragilidade económica nos fará olhar para o futuro de forma ainda mais ambiciosa, porque é com o surgimento de desafios que se conseguem os feitos mais audaciosos e esse é o caminho do progresso”, destacou.

Frisou que “todas as economias têm ciclos altos e baixos. A boa notícia é que não haverá recessão, mas apenas uma ligeira desaceleração do crescimento da economia, sendo essa uma boa base de trabalho para o próximo ano”.

“Desejo que os trabalhos do Novo Ano Parlamentar da presente legislatura decorram com êxito e que os senhores deputados se empenhem, cada vez mais, na defesa dos superiores interesses do povo angolano”, concluiu. (portalamngop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA