Angola adere a proibição de armas químicas; Coreia do Norte e Israel seguem fora

Bandeira de Angola (Foto: Jorge Monteiro/Portal de Angola)
Bandeira de Angola (Foto: Jorge Monteiro/Portal de Angola)
Bandeira de Angola (Foto: Jorge Monteiro/Portal de Angola)

Angola uniu-se nesta sexta-feira à Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ), anunciou o organismo com sede em Haia, que reduziu a quatro o número de países que não ratificaram a convenção ad hoc, entre eles Israel e a Coreia do Norte.

Angola é o 192º país a aderir à organização, que recebeu o prémio Nobel da Paz em 2013.

Após a adesão de Angola, apenas quatro países não ratificaram a convenção: Egipto, Israel, Coreia do Norte e Sudão do Sul.

Os Estados membros da OPAQ comprometem-se a não fabricar, armazenar ou utilizar armas químicas e podem ser objecto de inspecções em locais que provoquem suspeitas, sem a necessidade de pré-aviso.

A OPAQ supervisiona, por exemplo, desde 2013 o desarmamento químico na Síria. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA