Acordos de cooperação entre Angola e Índia na forja – Georges Chikoti

Georges Chikoti - Ministro das Relações Exteriores de Angola (Foto: Pedro Parente/Arquivo)
Georges Chikoti - Ministro das Relações Exteriores de Angola (Foto: Pedro Parente/Arquivo)
Georges Chikoti – Ministro das Relações Exteriores de Angola (Foto: Pedro Parente/Arquivo)

Angola e a Índia poderão assinar, no próximo ano, em Luanda, acordos de cooperação, em sectores potenciais deste país asiático, como da agricultura, energia , telecomunicações e educação, adiantou o ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Chikoti.

Esses acordos serão sequência de trabalhos preparatórios de técnicos das duas diplomacias, segundo Georges Chikoti, quando falava hoje à imprensa, em Nova Deli, a seguir a um encontro mantido com a sua homóloga indiana, Sushma Swaraj.

O governante, que participou na III Cimeira Índia-Angola, terminada quinta-feira, considerou importante a parte indiana ter demonstrado a sua disposição de financiar ou abrir linhas de créditos naquilo que for interesse de Angola.

Destacou também que há um grande potencial de se promover o sector privado indiano e angolano para cooperarem em áreas de interesse, na base da linha de crédito que a índia abre, de 10 biliões de dólares, para servir Angola e outros países africanos.

“É um momento bom não só para os privados mas também na cooperação entre os dois governos. Portanto acho que nos próximos tempos vamos ver como é que Angola pode apresentar projectos nesta ordem”, enfatizou.

Acrescentou que a linha de crédito estará aberta e tudo vai depender da apresentação de outros projectos como da indústria, comércio, inclusive.

Georges Chikoti informou que a Índia apresentou quinta-feira um projecto na área de energia e do açucar, susceptível de interesse não só de Angola mas de África, no seu todo, abrindo também possibilidade de iniciativas ao sector empresarial indiano e angolano de concorrer para a linha de crédito que estará aberta.

A par da proposta de produção da cana-de-açucar para fazer etanol em Angola, pode haver muitas outras nas áreas como as de energia e agricultura, disse, acrescentando que o país estará interessado, por exemplo, em ter uma fábrica de produção de equipamentos agrícolas. (

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA